Procon autua Telefônica por pane em serviços de telefonia fixa e Speedy

Multas somadas podem chegar a R$ 16 milhões, diz órgão de defesa

 A Fundação Procon-SP vai autuar, nesta terça-feira (15), a Telefônica por conta de falhas relacionadas à prestação de serviço de telefonia fixa e banda larga (Speedy). Somadas, as multas podem chegar a R$ 16 milhões. De acordo com o órgão de proteção e defesa do consumidor, serão cinco processos administrativos referentes a duas interrupções de serviço de telefonia fixa (na ultima terça-feira, 8, e em junho) e três do Speedy (fevereiro, abril e maio).

Ao final de cada processo, a Telefônica poderá ser multada em até R$ 3,2 milhões. "A Telefônica demonstra ter problemas estruturais graves que comprometem sua capacidade de garantir a continuidade dos serviços, inclusive o de telefonia fixa, que é essencial. Já é o quinto episódio somente neste ano. Há um dano imenso à sociedade e um desrespeito ao contrato de concessão", afirmou em nota Roberto Pfeiffer, diretor-executivo da Fundação Procon-SP. "É essencial também que a Anatel, como reguladora do setor, investigue os problemas e tome as medidas preventivas e sancionatórias cabíveis, assim como fez recentemente em relação ao Speedy", continuou.

De acordo com o comunicado do Procon, além das multas, outras sanções previstas no art. 56 do Código de Defesa do Consumidor podem ser aplicadas. “A empresa terá assegurado o direito à ampla defesa”, diz o texto. Desconto Em relação à pane na telefonia fixa da semana passada, a Telefônica informou que dará a seus clientes residenciais desconto referente a um dia de assinatura ou de mensalidade, no caso de planos alternativos.

Na ocasião, diversas regiões da Grande São Paulo ficaram sem acesso ao serviço– telefones de emergência, como os da polícia e dos bombeiros, ficaram inoperantes por 1 hora e 20 minutos. No entanto, o Procon-SP afirma que, além do desconto na próxima mensalidade, a empresa tem a obrigação de receber e solucionar os pedidos de reparação de prejuízos dos consumidores que foram lesados pela interrupção inesperada. “Caso haja recusa da empresa, o consumidor pode procurar o Procon-SP, a Anatel e o Poder Judiciário”, diz o órgão de defesa do consumidor, em nota.

O problema foi causado pelas fortes chuvas que atingiram a capital na semana passada. A Trópico Sistemas e Telecomunicações, fornecedora da Telefônica, admitiu que falhas em três de seus equipamentos de sinalização causaram problemas no sistema de telefonia. O motivo, segundo a fornecedora de equipamentos e serviços, foi a “tempestade atípica, com excessivas descargas elétricas”.

Fonte: g1, www.g1.com.br