Gripe: Procura por antivirais aumenta entre a população

Gripe: Procura por antivirais aumenta entre a população

Os casos de gripe aumentam com o tempo seco.

As doenças respiratórias são mais comuns no inverno, mas o tempo seco, mesmo em lugares mais quentes como Teresina, faz com que doenças como a gripe atinjam com maior frequência a população.

Como forma de prevenir a infecção pelo vírus da gripe, o Ministério da Saúde orienta que as pessoas não descuidem da higiene pessoal, não deixem de lavar as mãos várias vezes ao dia, evitem tocar a face com as mãos sujas e devem proteger a tosse e o espirro com lenço descartável.

Em caso de constatação de infecção pelo vírus da gripe, os profissionais orientam que todas as pessoas - em especial as que fazem parte dos grupos mais vulneráveis, como gestantes, crianças pequenas, os idosos e portadores de doenças crônicas - devem procurar um serviço de saúde para iniciar o tratamento.

Por conta do relaxamento das pessoas com esses cuidados é que o país vive novamente vários casos de contágio pelo vírus H1N1. Neste caso, o paciente deve iniciar o tratamento com o antiviral oseltamivir (Tamiflu), mas para isso é preciso que antes os casos suspeitos sejam avaliados e medicados sob orientação médica.

O oseltamivir é um medicamento eficaz no tratamento da Gripe tipo A e é distribuído gratuitamente em toda a rede pública de saúde. Os sintomas da forma mais grave do vírus da gripe A são surgimento simultâneo de febre, tosse ou dor na garganta, dor de cabeça ou dor muscular, ou ainda a dor nas articulações.

Seu agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastro-intestinais e dor muscular intensa.

Mesmo com o aumento dos casos de gripe sendo comuns neste período do ano, o Ministério da Saúde descarta qualquer tipo de epidemia, apesar do número de casos pelo vírus A H1N1 ter aumentado em relação a 2011.

Todos os casos da doença vêm sendo monitorados e a transmissão do vírus da gripe tem se sobressaído na região Sul do país em Estados como Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

O monitoramento dos casos de gripe A em todo o país faz com que o remédio utilizado no tratamento da doença tenha o seu acesso facilitado em toda a rede pública de saúde. Mas os profissionais da área são enfáticos ao afirmar que a precaução com os cuidados de higiene são extremamente importantes.

*TABELA DE PREÇOS DAS FARMÁCIAS DE TERESINA NO JORNAL MEIO NORTE DE HOJE (8 DEJULHO)

Vacina contra a gripe tem cobertura de 80%

Em junho, o Ministério da Saúde autorizou o envio de 51.190 caixas de medicamentos para o tratamento da gripe para os Estados com maior registro da doença, sendo o caso de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Cada caixa contém 10 comprimidos, o suficiente para um tratamento completo. A ação é preventiva e visa evitar que haja desabastecimento do antiviral oseltamivir, já que este reduz as complicações nos casos graves de gripe A. Contudo, de acordo com informações da Vigilância de Saúde, nenhum dos 26 Estados e Distrito Federal apresenta carência do antiviral.

Na campanha de vacinação contra a gripe realizada neste ano, o Brasil registrou mais de 80% de cobertura, uma das mais altas do mundo. Nos três Estados da região Sul, a cobertura vacinal superou a marca de 80%, recomendada pelo Ministério da Saúde.

Além disso, o Ministério da Saúde autorizou o envio de 1,4 milhão de doses extras da vacina para complementar o estoque dos Estados para atender a população com diabetes mellitus, asma, fibrose cística e imunodeficiências congênitas. A vacinação desse grupo ocorre mediante a indicação e prescrição médica de acordo com cada Secretaria Estadual de Saúde.

A pesquisa semanal de preços realizada pelo Jornal Meio Norte nas três principais redes de farmácias da capital destaca a consulta para remédios bastante usados no tratamento dos sintomas da gripe comum, como os antigripais e antitérmicos.

A rede de farmácias que se destacou oferecendo os melhores preços para o consumidor esta semana foram as Drogarias Globo, com total de R$ 931,53. Já a rede de farmácia Big Ben ocupou a segunda colocação, com total de R$ 933,54. As farmácias Pague Menos ocuparam a última colocação, com os preços mais caros para o total da lista de produtos, R$ 951,85.

Fonte: Marcilany Rodrigues