Procuradora acusada de agredir criança dá entrevista ao JN e diz que tentava educá-la

Vera Lúcia Gomes está presa no Rio e negou ter agredido a menina de 2 anos que tentava adotar

Vera Lúcia Gomes está presa no Rio e negou ter agredido a menina de 2 anos que tentava adotar. Ela afirmou que não sabe como a criança apareceu com hematomas no rosto e que quer ver o culpado preso.

imprimir A procuradora Vera Lúcia Gomes, presa no Rio de Janeiro acusada de agredir uma menina de 2 anos que tentava adotar, disse que gritava com ela e usou palavras grosseiras numa tentativa de educar a menina. Depois de fugir e de se esconder da Justiça, ela resolveu falar, na prisão. Disse que nunca agrediu a menina e que não sabe como a criança ficou com os hematomas no rosto.

Bette Lucchese: A senhora agrediu, torturou a menina de dois anos e dez meses?

Vera Lúcia: De maneira nenhuma! Isto é a maior calúnia, a maior infâmia, é a maior loucura?, disse Vera Lúcia.

Bette Lucchese: Tem passagens aqui na denúncia que diz assim, segundo testemunhas, que essa frase aqui teria sido pronunciada pela senhora: "Você não vale nada, sua vaca, cachorra. Você é igual a sua mãe".

Vera Lúcia: Mentira, mentira!

Bette Lucchese: O Instituto Médico Legal disse que as lesões na criança foram lesões graves.

Vera Lúcia: Não reconheço, não reconheço isso. Eu quero, tanto quanto a senhora, saber se essas lesões existem e quem as realizou, porque de uma coisa a senhora pode estar certa, eu não fui.

Bette Lucchese: A senhora bateu alguma vez na menina?

Vera Lúcia: Nunca, nunca, nunca.

Bette Lucchese: A senhora falava palavras rudes pra ela?

Vera Lúcia: Nunca! Falei uma vez para ela comer e isto com intuito dela comer. Sabe o que ela fazia? Derramava na roupa. Ora, eu sou mãe para educar. Eu peguei uma criança para educar. Eu não posso admitir que uma criança pegue uma xícara de leite. Eu dizia pra ela: ?minha filha, você não quer, você diga pra mamãe não quero, mamãe, estou com dor de barriga, não quero, mas você não pode jogar pra frente?.

Vera Lúcia: Acho que errei. Mas também quero dizer à senhora que eu não sou perfeita tá? A senhora erra, eu erro e quero saber qual a mãe que nunca errou com o filho que nunca extrapolou, que nunca falou uma palavra mais rude que nunca falou.

Bette Lucchese: A senhora é uma pessoa que conhece muito a lei. A senhora acha que vai ser difícil provar a sua inocência?

Vera Lúcia: Não, não acho não. Não acho que vá ser difícil não. Eu acho que tenho uma vida no Ministério Público, nunca fui uma pessoa violenta. Como eu não pratiquei o crime, eu quero provar e quero que o culpado vá para a cadeia.

Fonte: g1, www.g1.com.br