Professor de Biologia da UFPI apresenta trabalho em congresso na Polônia

Professor de Biologia da UFPI apresenta trabalho em congresso na Polônia

Congresso é importante mundialmente porque são apresentados os maiores avanços nos estudos

O professor de Biologia no campus de Floriano da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), Leonardo Sousa Carvalho, de 25 anos, foi um dos 14 brasileiros que participaram do 18º Congresso Internacional de Aracnologia, realizado na cidade de Siedlce, Polônia. O encontro, realizado pela aconteceu entre os dias 11 e 17 de julho e contou com a presença de 250 pesquisadores de 53 países de todo o mundo.

Ele revelou que era um dos dois únicos nordestinos da delegação brasileira. ?É muito satisfatório podermos apresentar nossas pesquisas realizadas com aranhas, escorpiões e outros animais semelhantes encontrados em uma das regiões menos conhecidas do Brasil?, disse Leonardo, afirmando que, apesar da distância de outros centros brasileiros, os pesquisadores nordestinos recebem reconhecimento rápido quando encontram espécies desconhecidas.

De acordo com o biólogo, este congresso é importante mundialmente porque são apresentados os maiores avanços nos estudos sobre os aracnídeos. ?As temáticas apresentadas vão desde a verificação dos impactos do homem sobre estes animais até a descrição de novas espécies e a prospecção de substâncias que poderão ser utilizadas no tratamento de doenças?, explicou.

Em um dos cinco trabalhos apresentados por Leonardo está a descrição de uma espécie nova de solífugo (um animal parente das aranhas, sem nomes populares no Brasil), que ocorre exclusivamente no Parque Nacional da Serra das Confusões, no sul do Piauí. ?Também expus trabalhos sobre o efeito da degradação de áreas na Amazônia, devido à ação do homem, para plantações de diversas culturas agrícolas ou pastagens?, disse o pesquisador.

Leonardo ainda disse que, durante o encontro, estreitou laços com pesquisadores de vários países, como Estados Unidos, Irlanda e Alemanha. ?Estes contatos poderão ser refletidos na realização de parcerias em futuras pesquisas e colaboração nos trabalhos desenvolvidos por estes pesquisadores em suas instituições?, completou.

Formado em Biologia pela UFPI em 2006, Leonardo é mestre em Zoologia pelo Museu Paraense Emílio Goeldi (Belém-PA) e professor assistente da UFPI desde janeiro de 2009. Trabalha com ecologia e sistemática de aracnídeos, desenvolvendo pesquisas com estes animais no Estado do Piauí e na Amazônia desde 2005.

Fonte: Marcos Moraes