Professora é acusada de manter relação sexual com aluna de 17 anos

O advogado afirma ainda que a professora não foi demitida

No País de Gales, a professora Nia Davies, de 31 anos, está sendo acusada pelo pai de uma de suas alunas de ter mantido um caso amoroso com a jovem de 17 anos. Segundo o homem, Nia e a filha trocaram mensagens íntimas e teriam chegado a dormir juntas na mesma cama durante passeios da escola.

Image title

Cadi Dewi, oficial responsável pelo caso de denúncia, afirmou ao "Mail Online" que o pai da jovem, hoje com 19 anos, começou a desconfiar do caso entre as duas quando ela apareceu com mordidas e marcas no pescoço, além de mencionar constantemente o nome da professora em casa. "Ele ficou sabendo pela irmã da jovem que ela estava 'se encontrando' com Davies", contou Cadi. 

À polícia, a jovem confessou ter beijado e passado finais de semana com a professora, mas negou que as duas tenham mantido relações sexuais. A professora foi presa, mas as acusações não foram levadas à frente na Justiça. Contudo, uma investigação própria está sendo realizada pela direção da escola e Nia foi afastada de seu posto em agosto do ano passado. 

Apesar do depoimento, pouco tempo depois a adolescente negou ter feito a declaração. "Nós nos enviamos mensagens, mas eram mensagens sociais. Foram dezenas, e não milhares. Eu nunca admiti ter beijado Nia ao meu pai, isso é completamente falso. Essa conversa nunca aconteceu", falou a jovem. 

"Nós tivemos uma conversa sobre minha sexualidade depois, mas eu acho que isso foi muito confuso, para ser honesta. Nia era apenas uma professora incentivadora", completou. 

A professora Nia Daves enfrenta oito acusações: "ter usado as mídias sociais para comunicação que não acadêmica", "ver um aluno sem acompanhamento", "compartilhar a cama com um aluno durante viagem", "ter convidado um aluno para sua casa em mais de uma ocasião", "ter permitido um aluno dormir em sua casa", "beijar um aluno", "morder um aluno" e "se relacionar sexualmente com um aluno". 

O advogado de Nia, Geroge Pollit, afirma que as acusações não passam de uma confusão, além de negar fortemente o romance. "As acusações envolvem uma viagem para um museu de artes. Qualquer pupilo teria se encantado com um professor mostrando tanto interesse em sua educação, afirmou. 

O advogado afirma ainda que a professora não foi demitida da escola, mas está com o contrato suspenso enquanto as investigações do caso não são concluídas.

Fonte: Com informações da UOL