Professora é demitida após fingir câncer e pedir amostras de DNA

Professora é demitida após fingir câncer e pedir amostras de DNA

Samantha Scrine disse ter câncer no estômago e alegou que não conseguiria mais dar aulas. Professores fizeram exames para doação.

Uma professor de ciências foi demitida depois de fingir que tinha câncer e fazer com que colegas de trabalho fizessem exames para saber se poderiam ser doadores para ela.

Samantha Scrine, de 26 anos, admitiu a falsa história de ter câncer no estômago, mas disse que não deveria levar punição, alegando que estava tão estressada que acabou acreditando na sua versão inventada.

Um tribunal de Cardiff ouviu que a mulher havia convencido os colegas de trabalho de que estava morrendo. Ela também deu a eles uma lista de desejos para seu funeral, incluindo músicas para o momento, uma apresentação sobre sua vida e um cartão de crédito para pagar as coisas depois que ela morresse.

Scrine, que tinha boa saúde tanto física quanto mental, pediu aos colegas para serem doadores e retirarem amostras de DNA, tentando encontrar um possível doador de medula óssea compatível.

Ela, então, forjou documentos do hospital local. A mulher alegou que estava passando por processos de radioterapia, e estava muito doente para dar aulas em sua escola. Assim conseguiu ganhar dinheiro sem precisar trabalhar.

Sua farsa só foi revelada quando os colegas de trabalho questionaram sobre o assunto junto aos familiares de Scrine.

A mulher afirmou que o câncer tinha se espalhado pelo seu quadril, e mandou mensagem aos colegas e professores pedindo uma amostra de DNA para tentar mudar seu quadro. Alguns dos possíveis doadores receberam cartas do hospital agradecendo por terem ido até lá verificarem a compatibilidade e se disporem a doarem.

Scrine convenceu os colegas na Escola Gowerton Comprehensive, em Swansea, País de Gales, que tinha câncer há oito meses.

Ela ainda inventou histórias alegando que tinha uma amizade com uma menina de 10 anos, que mais tarde havia morrido com a doença.

A escola onde a mulher trabalhava, depois de ficar sabendo da suposta fraude, entrou em contato com a família dela e descobriu que a professora tinha depressão, e não câncer como ela havia comentado.

A mulher foi demitida, e agora está respondendo judicialmente por sua mentira.

Fonte: Daily Mail