Professora é presa ao tentar fugir com uma adolescente em ônibus

Para os policiais, a adolescente contou que mantinha um relacionamento com a professora de libras.

Uma professora, de 21 anos, foi detida na rodoviária de Vila Velha, na Grande Vitória, na noite deste domingo (30), ao tentar fugir com uma adolescente, de 17 anos, segundo a polícia. A mulher foi flagrada com a jovem já dentro de um ônibus com destino a São Paulo. A professora foi levada ao Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) do município. Ela foi liberada e vai responder pelo crime. De acordo como o delegado, ela induziu à fuga de pessoa menor de 18 anos e pode pegar de um mês à um ano de detenção se for condenada. A adolescente foi levada para casa com os pais.

Para os policiais, a adolescente contou que mantinha um relacionamento com a professora de libras da rede pública da Serra, Stefani Correia, há pouco mais de um ano. Os pais da jovem, que alegaram não saber do relacionamento, disseram que não aceitam esse tipo de comportamento.

"Eu só queria que ela sumisse da vida da minha família e da minha filha. A Stefani destruiu a vida da família dela e da nossa, ela pagava as contas e dava presentes para a minha filha. Eu não aceito. O que é normal e natural da vida é um homem e uma mulher. A gente quer ter os nossos filhos para casar e terem filhos, não para ficar desta forma errônea que o mundo aceita?, desabafou o pai, Fábio Gomes, e cabo da Polícia Militar.

Segundo a família, a adolescente estava desaparecida desde a última sexta-feira (28) quando foi vista pela última vez com a professora. A mulher foi flagrada com a menor na rodoviária de Araçás na noite deste domingo, depois que a Polícia Militar descobriu que ela tinha comprado passagens para viajar.

A mãe da adolescente contou que já ouviu outros casos em que a professora agiu da mesma forma. "Essa mulher perdeu a razão e vai pagar pelo erro dela. Ela induziu a minha filha, mesmo a minha filha dizendo que foi por conta própria. Mas de certa forma, ela a induziu. A professora mudou o cabelo. Ela era loira, de cabelo comprido, cortou e pintou de preto. Ela é uma profissional, já teve outros casos em outros lugares como este que eu sei, ela é uma profissional e astuta", relatou a mãe da adolescente, Suziane Rangel.

De acordo com a advogada da professora, Gisele Daud Soeiro, a adolescente e a professora já estavam juntas há um ano e 4 meses. ?Ela já se relacionavam há muito tempo e os pais sabiam, mas não concordavam. Na última sexta-feira, as duas foram a shopping e a adolescente decidiu não voltar para casa naquela noite. Elas dormiram na casa de uma amiga e viram a repercussão na mídia. Não houve seque sequestro como foi cogitado pelos pais?, contou a advogada.

Fonte: G1