"Foi uma fatalidade", diz cunhado de professora morta em lipoaspiração

Rejane Andrade se submeteu a uma lipoaspiração e teve parada cardíaca.

A professora Rejane Andrade, de 37 anos, morreu na última quarta-feira (15) durante a realização de uma lipoaspiração na Policlínica do Alecrim, em Natal. Além de dar aulas, ela era chefe de gabinete da Prefeitura de Alexandria, município da região Oeste do Rio Grande do Norte. De acordo com o prefeito de Alexandria, Ney Moacir Rossatto, que é cunhado de Rejane, ela teve uma parada cardíaca durante o procedimento cirúrgico. O velório e sepultamento da professora aconteceram nesta quinta-feira (16), em Alexandria.


Professora morre durante cirurgia estética em Natal

Ney Moacir Rossatto é médico ginecologista e acompanhou o procedimento dentro da sala de cirurgia. Ele afirmou que Rejane teve uma parada cardíaca cerca de 30 minutos depois de ser anestesiada e que a professora teve toda a assistência necessária por parte da equipe médica. "Foi uma fatalidade. Ela teve uma parada cardíaca e os médicos fizeram tudo o que estava ao alcance deles. Ela teve toda a assistência necessária", disse Ney Moacir.

Segundo ele, a morte da professora causou grande comoção na cidade. "Ela era muito querida não só em Alexandria, mas aqui na região. Dava aulas em Antônio Martins, estudava em Pau dos Ferros. Veio muita gente para o velório e enterro. É muito triste que isso tenha acontecido", disse o prefeito Ney Moacir.

Fonte: G1