Professores da UFPI fazem paralisação de 24 horas hoje

A ação faz parte de um movimento em nível nacional com o objetivo de retomar uma agenda de negociações com os docentes e técnico-administrativos

Por melhores condições de trabalho e reestruturação da categoria docente nas Instituições Federais de Ensino, os docentes da Universidade Federal do Piauí (UFPI) pararam suas atividades por 24h, nesta quarta-feira (22). Além disso, os servidores e técnico administrativos também aderiram à paralisação nacional.

Durante todo o dia de ontem, professores e servidores participaram de debates sobre a pauta da jornada de lutas, e, às 19h, no auditório da Associação dos docentes da UFPI (ADUFPI), foi feito o lançamento da publicação do Dossiê Nacional Precarização das Condições de Trabalho I - Cargos, Vagas e Reuni: os Efeitos da Expansão Quantitativa da Educação Federal.

A adesão à paralisação nacional foi aprovada pelos docentes em função de retomar uma agenda de negociações com os docentes e técnico-administrativos, pois o Ministério do Planejamento tem se recusado a discutir soluções para as distorções criadas pela Lei 12.772/2012, da carreira docente.

De acordo com o presidente da ADUFPI, Mário Ângelo, os docentes reivindicam ainda sobre a precarização das condições de trabalho. Com o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), o governo federal adotou uma série de medidas para retomar o crescimento do ensino superior público, criando condições para que as universidades federais promovam a expansão física, acadêmica e pedagógica da rede federal de educação superior.

As ações do programa contemplam o aumento de vagas nos cursos de graduação, a ampliação da oferta de cursos noturnos, a promoção de inovações pedagógicas e o combate à evasão, entre outras metas que têm o propósito de diminuir as desigualdades sociais no país.

?Com a expansão das universidades, através do Reuni, foram criados 2.428 cursos, em 14 universidades do Brasil. Só na UFPI foram implantados 30 cursos novos. Também foram contratadas cerca de 4 mil obras, mas apenas 62% delas foram concluídas?, coloca ao destacar que isso gera problemas de infraestrutura.

?Houve um grande acréscimo de alunos. Com o Reuni, as universidades passaram de 50 para 71 mil professores e de 500 mil para mais de 1 milhão de alunos?, acrescenta. Na UFPI são cerca de 22 mil alunos para 1.553 professores em exercício. Das 4.758 turmas abertas na graduação para o semestre, 489 não têm professor.

Segundo a ADUFPI, hoje falta tudo na universidade. Os departamentos de Biofísica e Fisiologia iniciaram as aulas, mas está faltando material de consumo, como algodão, seringa e anestésicos. Ao todo, são seis aparelhos de medir pressão funcionando para turmas de 30, 40 alunos.

?É por isso que esse é o momento de chamar a atenção das reitorias e do governo federal, com o lançamento do dossiê. Depois desse evento, temos uma reunião, de 24 a 26, com todos os sindicatos do Brasil para decidir o rumo do movimento?, finaliza o presidente da ADUFPI.

SERVIDORES - A reivindicação dos servidores é pela democratização interna das universidades, jornada de 30h e contra a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). ?Queremos, principalmente, barrar a terceirização, com a realização de concurso público. Na UFPI, o número de terceirizados passa da casa dos mil e muitos deles realizam tarefas que são próprias do assistente administrativo?, coloca Raimundo Uchôa, representante da FASUBRA (Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos de Ensino Superior do Brasil).

Preparatório segue com inscrições abertas

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) caracteriza-se, hoje, como a principal porta de acesso ao ensino superior público no Brasil. E com o intuito de fortalecer os estudos dos alunos oriundos de escolas públicas do Piauí, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) oferece preparatório gratuito para o exame.

A edição 2013 do Intensivão da Seduc iniciou suas aulas no mês de fevereiro. Entretanto, quem ainda não está assistindo às aulas pode se inscrever em qualquer escola pública que tenha turmas do Programa Mais Saber. Ao todo, existem mais de 300 polos espalhados nos municípios do Piauí. ?Uma das escolas onde ainda há vagas é o Premen-Sul?, informa o coordenador do preparatório, professor Valdir Soares.

O educador explica que as aulas do Intensivão da Seduc acontecem, diariamente, no turno da tarde e aos finais de semana. ?Em 2012, mais de 100 mil alunos participaram do projeto. Nossa expectativa, para este ano, é superar a meta anterior?, afirma.

De acordo com o professor Valdir Soares, o preparatório, que foi criado em 2011, substituindo o antigo projeto dos Cursinhos Populares, democratiza o ensino e aumenta as possibilidades de aprovação dos alunos de escola pública no Enem.

?Os vestibulares nos moldes tradicionais favoreciam os alunos de escolas particulares que tinham condição de pagar revisões caras, em auditórios fechados. Hoje não. Agora, com o Intensivão da Seduc, os estudantes e egressos da rede pública de ensino podem competir de igual para igual?, destaca o professor acrescentando que cerca de 80% dos estudantes egressos de escolas públicas que foram aprovados no Enem 2012 participaram do Intensivão da Seduc.

Revisões - Três grandes revisões já estão sendo preparadas pela equipe de professores do Intensivão da Seduc. Uma deve ocorrer no mês de setembro e as outras duas em outubro. Os encontros devem acontecer no Ginásio Verdão e ainda não têm data definida. Mas é certo que tanto a entrada como o material das revisões serão gratuitos.

?A última revisão será às vésperas da prova do Enem. O Noturnão da Seduc deve iniciar às 18h e terminar somente às 6h do dia seguinte. Durante os intervalos, acontecerão apresentações artísticas, além do tradicional lanche da meia-noite e o café da manhã?, conta Valdir Soares.

Fonte: Aline Damasceno