Profissionais pedem dentistas em UTIs de hospitais públicos do Piauí

O dentista é importante nesses ambientes hospitalares para prevenir infecções que resultam de bactérias oriundas da boca dos pacientes.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA (25) DO JORNAL MEIO NORTE

Nenhuma das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) dos hospitais públicos do Piauí contam com dentistas. Até mesmo entre os hospitais particulares, são poucos os que possuem esse profissional no seu quadro. O dentista é importante nesses ambientes hospitalares para prevenir infecções que resultam de bactérias oriundas da boca dos pacientes.

O presidente do Sindicato dos Odontologistas do Estado do Piauí e membro do Conselho Regional de Odontologia, Sérgio de Sá Pires, explica que a boca já é cheia de bactérias normalmente e, quando uma pessoa está doente e acamada, a proliferação delas encontra ambiente ainda mais propício. ?Quando se está acamada, a boca fica sempre fechada, o que dificulta a circulação de oxigênio. Com isso, a proliferação dessas bactérias acontece de forma muito mais rápida e se dissemina por todo o corpo?, disse.

A importância do dentista dentro da UTI se deve ao fato de ele ser o único profissional habilitado a fazer de forma correta a assepsia da boa dos pacientes. Hoje, muitos hospitais colocam essa tarefa nas mãos de enfermeiros, mas eles não são habilitados para isso. ?Esse é um problema sério e um enfermeiro não é o profissional indicado para realizar esse tipo de procedimento. Está comprovado, por exemplo, que a maior causa de endocardite bacteriana, uma doença cardíaca, são bactérias oriundas da boca?, afirmou.

Fonte: Pollyana Carvalho