Programa de Valorização premiará profissionais em Teresina

A iniciativa da Prefeitura de Teresina prevê um bônus anual aos professores, pedagogos e diretores de escolas

A partir deste ano as escolas municipais de Teresina receberão um incentivo a mais para continuarem melhorando seus indicadores. A Câmara Municipal de Teresina aprovou a Lei Nº 4.499, de 20 de dezembro de 2013, que institui o Programa de Valorização do Mérito, que motiva os profissionais do magistério a melhorarem suas práticas docentes, elevando, consequentemente, o desempenho acadêmico dos alunos.

A iniciativa da Prefeitura de Teresina prevê um bônus anual aos professores, pedagogos e diretores de escolas que apresentarem evolução no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica - IDEB.

Com as avaliações aplicadas em 2013 e utilizando as médias de aprovação dos alunos, a medida já começa a vigorar em julho deste ano, quando as notas do IDEB são divulgadas pelo MEC.

Segundo o assessor especial da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), Luís Carlos Sales, os profissionais do magistério (diretor, vice-diretor, diretor-adjunto, professores no exercício da docência e pedagogos) de cada escola do Ensino Fundamental regular receberão bônus em dinheiro pelo desempenho coletivo da escola.

"É uma forma de valorizar o esforço, reconhecer o bom desempenho e incentivar a melhoria constante da educação municipal. A valorização dos profissionais vai levar em consideração o índice alcançado pela escola no IDEB, atendendo também seis categorias previstas pela Lei.

Quanto maior for a média do IDEB, maior será o percentual a ser recebido. Os profissionais terão um motivo a mais para buscarem metas e alcançarem os objetivos", explica Luís Carlos.

Na prática, a motivação conjunta envolverá toda a comunidade escolar. Quanto maior for o envolvimento dos professores com os alunos, maiores serão os índices registrados e o percentual a ser recebido.

O Programa de Valorização do Mérito das Escolas da Rede Municipal é uma prática motivadora que não prevê o rankeamento de escolas, onde cada unidade de ensino concorre com ela mesma.

A concorrência da escola é com seus próprios números, assim, todas têm as mesmas chances de atingirem os melhores resultados. "Um esforço coletivo para superar as limitações e oferecer à população uma educação pública de qualidade", conclui Luís Carlos.

Fonte: Aline Damasceno