Programa Viva o Semiárido estima atender cerca de 75 mil famílias

75 mil famílias de produtores rurais serão beneficiadas

A Superintendência do Tesouro da Secretaria da Fazenda recebeu em reunião representantes do Fundo de  Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e membros da Diretoria de Controle da Pobreza Rural da SDR (Secretaria de Desenvolvimento Rural).  O evento, que ocorreu na terça-feira (30), objetivou que a SEFAZ oferecesse prontidão de atendimento às demandas da SDR, que é a responsável pela execução de ações do Programa Viva o Semi-Árido,  e  suporte técnico necessário para o desenvolvimento das ações apresentadas ao FIDA.

Com a operação de crédito contratada em anos anteriores, o Piauí já dispõe de U$ 2 milhões (equivalente a R$4 milhões) em conta para o desenvolvimento de políticas públicas nas áreas de Educação Contextualizada com a Realidade do Campo, Extensão Rural e Geração de Emprego e Renda e Melhoria da produção Rural. À medida da continuidade do trabalho, outros U$ 18 milhões devem ser liberados até 2020, conforme o andamento das ações. No momento, o núcleo gestor da SDR está elaborando projetos que se encaixem nas linhas do Programa, e buscando parcerias para aplicar os recursos já disponíveis.

A reunião oportunizou também ao FIDA que realizasse avaliação do nível de diálogo, apoio e contato com os órgãos estaduais e perceber a situação financeira do Piauí: " Neste momento, pudemos demonstrar a capacidade de endividamento e pagamento do Estado, em caso de eventual necessidade de recorrer novamente ao Fundo.", explica o Diretor da Unidade de Gestão da Dívida Pública da SEFAZ, Mauro Lima.

O projeto está dividido em duas grandes áreas de trabalho: uma trabalhará o desenvolvimento e fortalecimento das capacidades da população rural, através de assessoria técnica, capacitações, treinamentos, educação contextualizada no Semiárido e formação vocacional do trabalho. As ações são voltadas para melhorar a produção e a geração de renda do trabalhador rural. A segunda vertente do projeto é uma linha de investimentos produtivos, focados no incremento da produção, melhorando o produto que chega ao mercado, além de reduzir os índices de extrema pobreza.

A estimativa de atendimento é de aproximadamente 75 mil famílias de produtores rurais com o conjunto de ações que pretende garantir mais desenvolvimento para a economia agrícola do Semiárido, e promover a redução da pobreza. Oitenta e nove municípios serão contemplados com as políticas públicas do Programa Viva o Semiárido, com atuação em quatro regiões do Piauí: Vale do Sambito, Vale Guaribas, Vale do Canindé e Serra da Capivara.

Fonte: Assessoria