Projeto de energia solar prevê produção e consumo sustentáveis em Teresina

O deputado estadual Fábio Novo possui uma proposta legislativa que estimula a produção da energia renovável que promete transformar o Piauí em referência na produção de energia limpa

Com a conta de energia cada vez mais alta e a dificuldade de produção agravada pela crise hídrica e impacto ambiental, vê-se a necessidade imediata de produzir energia sustentável.

O deputado estadual Fábio Novo possui uma proposta legislativa que estimula a produção da energia renovável que promete transformar o Piauí em referência na produção de energia limpa.

Baseado em modelos aplicados com sucesso em países da Europa, o projeto prevê a instalação de placas de energia solar em vários municípios do Estado, beneficiando indústrias e sobretudo a população.

O modelo de produção de energia solar proposto por Fábio Novo é bastante parecido com o da Alemanha, onde qualquer produtor residencial pode ser produtor de energia.

Através de uma placa solar e um contador de energia especial, o morador poderá produzir toda a energia que precisa em seu lar e o excedente será distribuído em rede para beneficiar outras pessoas.

"Imagine cada casa do Estado produzindo sua própria energia. O excedente disso será enviado para a rede de distribuição e deverá beneficiar o maior número de pessoas. Esta é uma tendência adotada em todo o mundo que deverá ser implantada também no Piauí", destaca o deputado.

O deputado destaca o potencial "incrível" da produção de energia solar no Piauí. Mas antes de tudo, é preciso tornar o Estado atrativo para o ramo empresarial.

No entendimento de Fábio, o caminho é designar uma alíquota menor de ICMS para a produção de energia limpa e alternativa. Isto torna o Estado competitivo, tendo em vista que a produção de energia solar ainda é um pouco mais cara que a energia elétrica.

"Se a tivermos uma política de atração para o Estado, conseguiremos sem dúvidas, bons investimentos aqui. Em São João do Piauí, por exemplo, o Governo Federal acaba de autorizar a construção da primeira usina de energia solar do Estado, que deve atender cerca de 500 mil pessoas. Mas nossa meta é ampliar esses projetos para mais municípios piauienses", frisa.

"Temos um potencial muito forte para a produção de energia no Estado. Já temos o Parque Eólico do Semiárido, um investimento da ordem de bilhões que possibilitará o Estado produzir cerca de 6.000mW, o equivalente à metade de produção da Usina de Belo Monte quando ela estiver em plena operação, por exemplo.

O Parque Eólico da Pedra do Sal é um sucesso na produção e passa por ampliação, mostrando a necessidade de investirmos cada vez mais na produção de energia limpa e renovável. Elas agridem menos o meio ambiente", destaca Fábio Novo.

Fábio Novo informa que trabalha na reformulação de seu indicativo de lei que institui a política estadual de incentivo ao uso e aproveitamento da energia eólica no Piauí, para que seja possível conceder um benefício especial na área de incentivos tanto na área de energia solar quanto eólica, tornando assim o Piauí mais atrativo para o setor industrial.

A proposta aguarda sanção do Governo do Estado. "A Alemanha tem pequena incidência de sol, mas um grande potencial produtivo. No Piauí, podemos colocar o sol para trabalhar a nosso favor", brinca o deputado.

 

Fonte: Olegário Borges