Projeto de leitura nos presídios é tema de bate-papo no Salipi

O projeto estimula a leitura e colabora na ressocialização

Será apresentado no próximo sábado (06) o projeto Leitura Livre no  13º Salão do Livro do Piauí – Salipi, que acontece na Universidade Federal do Piauí (UFPI).

O projeto que tem por objetivo estimular a leitura e coloaborar com a ressocialização dos detentos asunidades prisionais do Estado vai ser apresentado pelo Secretário Estadual de Justiça, Daniel Oliveira, durante o bate-papo literário do evento.

Segundo Daniel Oliveira a ideia é ampliar o projeto para todas as unidades prisionais do Estado para que os internos possuam, através da leitura, novos horizontes.

O projeto “Leitura Livre” foi iniciado em março deste ano, na Penitenciária Irmão Guido, onde a psicóloga Vanessa Moura identificou a vontade de ler entre os internos. 

“Através dos atendimentos individuais observamos que os internos sempre pediam algo pra ler, até mesmo revistas de fofoca. Eu percebi essa demanda e surgiu a ideia de um projeto de leitura. Os detentos ficam com um livro durante 30 dias e no final produzem uma resenha. Depois disso, eles participam de uma roda de conversas para discutir sobre o que foi lido, aprendido”, ressalta.

Durante o evento, a Secretaria Estadual de Justiça terá um estande de arrecadação de livros para o Projeto Leitura Livre, que será implantando em todas as unidades prisionais do Estado.

 

Projeto vai possibilitar a remição da pena

 

Um dos focos do projeto Leitura Livre é a remição da pena. Além dos benefícios que a leitura possibilita, a aprovação das resenhas por uma banca avaliadora, formada por membros da Secretaria de Educação, garantirá a remição de quatro dias na pena do interno.

Para a psicóloga Vanessa Moura, o projeto representa o início da ressocialização e da humanização, metas da Secretaria de Justiça.

“Apenas privar uma pessoa da liberdade não vai garantir que ela saia da prisão melhor. Depois que os detentos começaram a ler, percebemos que eles ampliaram sua visão de mundo e o ambiente na penitenciária melhorou”, finaliza.

Fonte: Portal MN