Projeto de esporte afasta os jovens das drogas na capital

Projeto na Vila Firmino Filho reduz a criminalidade e leva os jovens ao mundo do esporte

Na Vila Firmino Filho, na zona Leste de Teresina, nasce uma semente de vitórias, o projeto ?Jovem Esperança? lançado por um grupo de amigos, sem qualquer apoio, reúne 150 crianças e adolescentes, tirando-os das ruas e oferecendo aulas de futebol e capoeira.

Lançado em 2006, encontra grandes dificuldades em se manter ativo, a escassez de recursos impossibilita até mesmo que materiais básicos para a prática das modalidades sejam adquiridos. O objetivo agora é implantar o vôlei, entretanto, falta a rede e é com a ?vaquinha? amiga que, na maioria das vezes, os organizadores conseguem comprar o que é necessário.

Segundo Wilson Santiago, coordenador do projeto, foram inúmeras as tentativas de mobilizar o poder público em torno de algum apoio, porém nunca conseguiram ajuda. ?Já até desistimos, sempre encontramos as portas fechadas?, afirma.

De acordo com Santiago, a batalha é complicada, ele trabalha como porteiro e não consegue lidar com as despesas sozinho. A estrutura é precária e apesar de contarem com uma quadra no bairro, falta muito mais para alavancar o ?Jovem Esperança?.

O coordenador enfatiza que os índices de criminalidade na região reduziram em torno de 30% após a implantação do trabalho social. ?A ideia surgiu porque percebíamos como a violência estava disseminada na Vila Firmino Filho?, aponta.

Santiago impõe que não apenas os moradores do local participam, a iniciativa já ultrapassou as fronteiras, se distribui pelo Satélite e outros bairros vizinhos.

O apelo que os participantes e coordenadores fazem é para que as autoridades não deixem essa luz se apagar, eles querem apenas uma chance de desenvolvimento.

?Estamos lutando por essa oportunidade?, pede Santiago. Na Vila Firmino Filho, o apoio é unânime, todos querem inserir novas perspectivas, que balizem uma vida melhor e mais digna.

Assim, Santiago vê o esporte como uma válvula de escape para os problemas sociais que tomam conta da região. Ele pede apenas os instrumentos básicos para a manutenção do trabalho. ?Estamos fazendo a nossa parte?, completa.

Fonte: Francy Teixeira