Projetos acolhem familiares de detentos em penitenciárias

A proposta do Acolher com Cidadania

Com a finalidade de fortalecer o vínculo familiar e sensibilizar as famílias das pessoas privadas de liberdade no sistema penitenciário a participar dos processos de reintegração social, a Secretaria de Justiça do Estado tem desenvolvido projetos como Acolher com Cidadania e Acolhendo Vidas nas unidades prisionais.

A proposta do Acolher com Cidadania é oferecer ambiente acolhedor e adequado à família do reeducando, durante a visita; realizar palestras semanais divididas por pavilhões com temáticas à realidade familiar; possibilitar a troca de vivências através de grupos de famílias; estimular e incentivar os familiares a participar de reuniões.

Promovido pela Diretoria de Humanização e Reintegração Social da Secretaria de Justiça, o projeto Acolher com Cidadania é coordenado pela assistente social Daniela Santos. Ela explica que o projeto busca romper com a visão de que a pessoa encarcerada não pode ou não deve ter contato com a realidade.

“O projeto traz um benefício direto para os reeducandos, para os familiares que recebem apoio para enfrentar a situação de reclusão e para própria Secretaria, todos ganhando com a melhora do comportamento dos internos e combatendo diretamente a reincidência através do processo de ressocialização”, destaca Daniela.

De acordo com Eliana Sobrinho, coordenadora de Humanização da Secretaria de Justiça, o projeto Acolher com Cidadania, inicialmente desenvolvido nas unidades penais da Grande Teresina, será ampliado para as demais penitenciárias do Estado.

“As atividades são desenvolvidas duas ou três vezes por semana em cada unidade. Nosso foco é a valorização do ser humano, seja ele interno, familiar ou servidor. Queremos modificar o clima nas unidades, criando um ambiente mais propício para que possamos, cada dia mais, desenvolver um trabalho melhor”, explica Eliana.

Os grupos familiares são divididos de acordo com a situação ou a demanda dos detentos. Há grupos de familiares de usuários de drogas e pessoas com HIV, por exemplo. “A ideia do Acolher com Cidadania é sensibilizar e preparar a família para o retorno do reeducando ao seu convívio”, observa a coordenadora de Humanização.

Projeto Acolhendo Vidas é desenvolvido na Casa de Detenção de Altos

Outro projeto da Secretaria de Justiça que também busca o fortalecimento do vínculo familiar é o Acolhendo Vidas, que é realizado durante as visitas na Casa de Detenção provisória de Altos. O intuito é oferecer um atendimento mais humanizado, suprindo a carência que as famílias têm de apoio e assistência social e psicológica.

Pelo projeto são realizadas atividades como dinâmicas e rodas de conversas abordando vários temas ligados. Assim como o Acolher com Cidadania, o Acolhendo Vidas conta com equipe multidisciplinar, composta por médico, dentista, psicólogo, assistente social, apoio jurídico e psiquiatra.

O secretário de Justiça, Daniel Oliveira, destaca que os projetos de acolhimento familiar dão mais eficácia ao processo de ressocialização. “Trabalhamos sobre pontos que provoquem uma mudança real na condição de vida do reeducando, aproximem a família da compreensão sobre esse processo de ressocialização e permita, por fim, o retorno adequado da pessoa ao convívio social”, ressalta o gestor.

Fonte: Com informações do Portal do Governo