Protesto reúne 35 mil pessoas contra o projeto de aprovação para PEC 37

Eles se diziam contra a PEC 37, que limita o poder de o MP investigar

A Avenida Paulista, a Rua da Consolação e outras vias da região central de São Paulo foram palco de protestos de pelo menos 35 mil pessoas neste sábado (22), segundo balanço da Polícia Militar. Eles levaram várias questões às ruas, mas em especial a rejeição à PEC 37, proposta de emenda constitucional que limita os poderes de investigação do Ministério Público.


Protesto reúne 35 mil pessoas contra o projeto de aprovação da  PEC 37

O sábado foi mais um dia de protestos em várias cidades brasileiras e também no exterior, caso de Paris. Em Belo Horizonte, a polícia mineira contou 66 mil manifestantes, e houve confronto.

Em São Paulo, as manifestações continuaram quatro dias após o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o prefeito Fernando Haddad (PT) revogarem o aumento nas tarifas de transporte público, motivo que inicialmente levou os manifestantes às ruas.

Neste sábado, eram 35 mil pessoas fechando a Rua da Consolação às 17h50, segundo a Polícia Militar. Os manifestantes caminharam até a sede do Ministério Público do Estado de São Paulo, na Rua Riachuelo, no Centro.

Vários eram os tipos de cartazes e pedidos apresentados. Um dos manifestantes pedia que os deputados brasileiros ganhem um salário mínimo e ainda tenham de usar os serviços públicos de saúde, educação e transporte, que aparecem entre as queixas comuns pelo país.

Já a estudante e professora de música Amanda Pandolfelli criticou as várias causas dos protestos que estão ocorrendo no país. "Acho válido que as pessoas tenham diversas reivindicações, mas sem foco acaba virando bagunça", disse.

Concentração

A concentração começou na Avenida Paulista por volta do meio-dia. O primeiro grupo a chegar protestava contra os maus-tratos a animais. Em seguida, novos manifestantes foram se juntando, até o grupo tomar a pista no sentido Consolação, por volta das 15h.

Houve ainda outros protestos pela cidade neste sábado. Um grupo de 60 motociclistas se concentrou em frente à Assembleia Legislativa de São Paulo, na região do Ibirapuera, para entregar um manifesto aos parlamentares da casa, mas o conteúdo do manifesto não foi revelado. O ato era pacífico.

Mais cedo, por volta das 10h, houve um protesto na Avenida Giovanni Gronchi que reuniu cerca de 70 pessoas. Além disso, cerca de 350 pessoas protestaram na manhã deste sábado (22) na Avenida Celso Garcia, na Zona Leste de São Paulo, e interditaram os dois sentidos da via. A manifestação foi feita por funcionários da rede conveniada da Prefeitura de São Paulo.

Fonte: G1