Protestos contra Israel espalham-se pelo mundo

Na Europa, manifestantes espanhóis sugeriram boicote a Israel em frente ao consulado israelense em Barcelona.

O ataque promovido pela Marinha de Israel nesta segunda-feira, 31, a uma frota de seis embarcações com ativistas pró-palestinos causou grande repercussão na comunidade internacional.

Pelo mundo árabe, centenas de turcos se concentraram perto das delegações diplomáticas de Israel. Paquistaneses protestaram pelo desaparecimento de um jornalista do país que estava a bordo de um dos navios atacados. Afegãos colocaram fogo em uma imagem do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu. Os egípcios também organizaram um protesto no Cairo contra a ação israelense. Na Síria (foto) manifestantes seguram cartazes com fotos de Raed Salah, um líder do Movimento Islâmico em Israel.

Na Europa, manifestantes espanhóis sugeriram boicote a Israel em frente ao consulado israelense em Barcelona. Os italianos protestaram na Piazza Venezia, no centro de Roma. Londrinos, franceses, poloneses e gregos também se manifestaram contrariamente ao ataque.

No Brasil, o Itamaraty divulgou uma nota pedindo uma investigação independente que esclareça o ocorrido e condenou, de maneira veemente, a ação israelense, "uma vez que não há justificativa para intervenção militar em comboio pacífico, de caráter estritamente humanitário".

A ONU convocou uma reunião de emergência do Conselho de Segurança, que aconteceu nesta segunda.

Fonte: Terra