Quadro clínico para pacientes com insuficiência renal piora no PI

Cada ampola do medicamento custa em média R$ 250

Três mil reais. É esse o valor que os pacientes com insuficiência renal crônica devem desembolsar para comprar o remédio injetável Calcitrol 0,1 mcg.

A medicação faz reposição de cálcio e deve ser ingerida após o final de cada sessão de hemodiálise que eles fazem por mês. O presidente da Associação dos Pacientes Renais do Piauí, Luiz Gonzaga Filho, explica a conta.

Cada ampola do medicamento custa em média R$ 250 e mensalmente os pacientes necessitam de pelo menos 12 unidades. O transtorno está sendo vivido pelos portadores de doença renal desde o final do ano passado. Segundo a Associação, a farmácia de medicamentos excepcionais do Estado está sem o remédio há dez meses.

Luiz Gonzaga destaca que diante da situação o quadro clínico dos pacientes renais do Estado está piorando. "O Piauí tem uma média de 2.500 pessoas com problemas renais.

Destas, 50% dependem do Calcitrol distribuído na farmácia de medicamentos excepcionais. Enquanto o problema não é resolvido, a situação dos doentes só agrava", afirma o presidente da Associação.

O problema da falta de medicamentos excepcionais já foi tema de diversas audiências públicas na Câmara Municipal de Teresina. Na última sexta-feira (28), a Associação ingressou com ação no Ministério Público Estadual para que a entidade possa intervir no caso.

"Prestamos declaração e a promotora Cláudia Seabra ficou de convocar o diretor da Farmácia de Medicamentos Excepcionais e o secretário estadual de Saúde, Francisco Costa, para que eles possam esclarecer o que está acontecendo", disse Luiz Gonzaga.

A Sesapi divulgou nota de esclarecimento sobre a denúncia da Associação dos Pacientes Renais. A secretaria admitiu a falta do medicamento, mas ressaltou que, do total de cinco remédios disponibilizados aos pacientes com insuficiência renal crônica, somente o Calcitrol 0,1 mcg não está disponível no momento.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informa que tem orientado aos pacientes a existência do medicamento para o uso oral e solicitado aos médicos prescritores a preferência pela solicitação do Calcitrol 0,25 mcg cápsula.

Segundo a pasta, evidências científicas provam que a versão oral do remédio é igualmente eficaz à injetável no tratamento dos portadores de doença renal.

Sobre as demais medicações, a secretaria esclarece que, após a finalização do processo licitatório, o estoque de medicamentos será regularizado. A previsão é que os remédios sejam disponibilizados aos pacientes até o dia 10 de setembro, na Assistência Farmacêutica, na Rua 24 de Janeiro, nº 124.

Fonte: Carolina Durães e Izabella Pimentel