Quase 60 mil famílias faltam atualizar dados no MDS

Prazo para revisão cadastral foi prorrogado até o fim do ano.

A revisão cadastral feita pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) revela que 58.670 famílias piauienses beneficiadas pelo programa precisam atualizar seus dados no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. As famílias têm até 31 de dezembro para atualizarem seus cadastro. Caso até essa data isso não aconteça, os benefícios serão bloqueados e podem até ser cancelados.

Mudança de endereço ou de renda, localização da escola dos filhos para acompanhamento da frequência escolar e composição familiar são informações que devem ser atualizadas. ?No caso de mudança de endereço, as famílias pode se dirigir ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou as coordenações municipais da própria localidade que se encontra e atualizar esses dados?, explica Claudina Lima, gerente de transferência de renda do programa Bolsa Família no Piauí.

Antes o prazo para atualização do programa, que beneficia 13,3 milhões de famílias em todo o país, era no dia 31 de outubro. Esse prazo foi prorrogado até o fim do ano. ?Se as famílias não atualizarem até o fim de dezembro, o dinheiro já não entra na folha de janeiro, pois o benefício estará bloqueado. Até o dia 28, os beneficiários ainda podem correr atrás para não terem o benefício cancelado. Em casos de cancelamento, apenas depois de três meses as pessoas podem procurar fazer um novo cadastro?, acrescenta Claudina.

Para o recadastramento, é necessário se apresentar no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do município ou na Secretaria da Assistência Social, com o CPF e título de eleitor em mãos. Caso haja registro de nascimento ou morte na família, é preciso levar as certidões. Em caso de mudança de endereço, também é necessário apresentar um novo comprovante de residência.

No Piauí, muitas cidades apresentam uma baixa atualização nos cadastros por conta da baixa cobertura de internet. ?Já visitamos várias cidades e diagnosticamos que o problema está no sistema. Na cidade de Cristino Castro, por exemplo, é feito apenas um cadastro diário. Não é por ineficiência que muitas cidades apresentam grandes números de beneficiários irregulares, embora existam cidades no Estado em que é preciso que o gestor tome providência urgentemente?, finaliza a gerente.

Fonte: Jornal Meio Norte