Quatro detentos morrem e três ficam feridos após tumulto no Complexo Prisional de Recife

De acordo com o oficial do Corpo de Bombeiros, cinco viaturas, com 16 militares, foram acionadas ao local, para realizar uma ação preventiva.


Quatro detentos morreram e três ficaram feridos na manhã deste sábado (31), durante uma rebelião no Complexo Prisional do Curado, antigo Aníbal Bruno, no bairro do Sancho, na Zona Oeste do Recife. 

De acordo com o oficial do Corpo de Bombeiros, cinco viaturas, com 16 militares, foram acionadas ao local, para realizar uma ação preventiva. Os feridos foram atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O Instituto Médico Legal (IML) recolherá os corpos das vítimas fatais. A identificação das vítimas não foi divulgada.

O tumulto começou por volta das 7h, quando o portão para entrada das visitas não abriu, causando preocupação e alvoroço na parte externa da unidade prisional. Os familiares teriam recebido a informação de que não haveria visitação e que uma possível greve dos agentes penitenciários seria um dos motivos. Contrariados com a demora da entrada das esposas e familiares, os detentos começaram um tumulto.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, João Carvalho, foi realizada uma contenção em resposta à ação dos presos. Ainda de acordo com ele, foram utilizadas armas não letais. No entanto, o pai de dois detentos que cumprem pena por furto e assalto, Carlos Alberto Santos e Silva, de 52 anos, que estava presente durante toda a ação, conta que ouviu barulho de tiros de armas de fogo.

O portão acabou abrindo às 8h35 para a entrada das visitas e a greve dos agentes foi descartada até a próxima assembleia, que deve ser realizada na próxima quinta-feira (5). Ainda segundo Carvalho, a medida de transferência de horário de início de visitas está dentro da legalidade. A assessoria de imprensa da Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) não se manifestou sobre o caso.

Siga o Meionorte.com no Facebook

Fonte: Folha-PE