Eletrobras: Queda de energia revolta capital e deixa prejuízo para clientes

Eletrobras: Queda de energia revolta capital e deixa prejuízo para clientes

Oscilações e quedas de energia que são constantes em Teresina têm deixado a população da capital revoltada com o serviço que vem sendo prestado.

As constantes interrupções no fornecimento de energia na capital têm deixado os cidadãos em estado de revolta. Em alguns bairros chega a faltar luz diariamente, sem contar as oscilações. Na tarde de ontem, a queda de duas árvores sobre a rede de distribuição deixou muitos bairros das zonas Leste e Sul sem energia. Procurada pela reportagem do jornal Meio Norte, a Eletrobras não se pronunciou sobre o serviço ruim que vem sendo prestado. Desesperada e sem amparo da Eletrobras, a população não sabe a quem recorrer.

A região central da cidade sofre baques frequentes na transmissão elétrica. O recepcionista Gleison Rodolfo reside e trabalha no centro há alguns anos e relata que é obrigado a conviver diariamente com diversas interrupções no sistema de transmissão. ?Perdi as contas de quantas vezes faltou luz hoje de manhã. Precisei reiniciar o computador que trabalho porque a energia caiu muitas vezes. É rápido, passa 10 segundos e volta. Mas imagina aguentar isso o dia inteiro? Perdi uma manhã de trabalho?, lamenta o recepcionista.

Gleison questiona a qualidade do serviço ofertado pela companhia de transmissão. ?Não é porque teve desconto na tarifa que deve haver queda de qualidade no serviço oferecido. Ainda pagamos caro pela energia e o povo merece ser tratado com dignidade. Apesar de tudo, acredito que a Eletrobras deve estar fazendo o possível para resolver isso?, frisa o funcionário.

Na zona Norte de Teresina não é diferente. A dona de casa Lidiane Marreiro afirma que uma pequena ventania é suficiente para faltar luz no Bairro Por Enquanto. A oscilação de energia é constante e ela teme que seus eletrodomésticos queimem. Ela se queixa do serviço de má qualidade da distribuidora. ?Certa vez meu irmão ligou de manhã solicitando atendimento e só chegaram às 23 horas. Tive que sorrir para não chorar?, desabafa.

Na zona Sul o problema se repete. O engenheiro Davidson Arcanjo amarga a falta de energia, mas compreende o problema e procura não se exaltar. O técnico explica que em grandes áreas urbanas também falta energia, embora não seja com a mesma frequência. A rede defasada e a má distribuição do sistema ajudam a piorar a questão do teresinense. ?As zonas comerciais requerem mais energia no horário da manhã, enquanto os bairros residenciais possuem alta demanda de energia a noite. Seria ideal duas redes de distribuição pequenas dois horários diferentes em cada zona, mas aqui temos uma grande rede para dar conta de necessidades específicas. Em algum momento o sistema não vai aguentar?, explana.

O especialista acredita que a longo prazo o problema será resolvido, tendo em vista que há um esforço direcionado em distribuir a rede de energia de maneira mais eficiente. A curto prazo, a solução seria aumentar a rede, mas as intempéries naturais, como chuvas e raios, continuarão a causar interrupções no sistema de energia elétrica.

Fonte: Olegário Borges