Queda em igreja deixou 113 feridos

Sete das vítimas fatais morreram no local do acidente

O desabamento do teto da Igreja Renascer em Cristo, no Cambuci, Zona Sul de São Paulo, na noite deste domingo (18), deixou 113 pessoas feridas, segundo informações atualizadas pelo Corpo de Bombeiros por volta das 15h desta segunda-feira (19). Outras nove mulheres morreram no acidente, que destruiu a sede da igreja na capital paulista.

Sete das vítimas fatais morreram no local do acidente. As outras duas morreram na manhã desta segunda no Hospital das Clínicas e na Santa Casa de Misericórdia. Os feridos foram levados para 16 hospitais da cidade. A maior parte teve lesões leves e já recebeu alta.

O Corpo de Bombeiros de São Paulo informou que cerca de 600 pessoas estavam no local quando o teto desabou, pouco antes do culto das 19h de domingo. Havia muitos fiéis no interior do prédio, mas os danos poderiam ter sido maiores se aquela não fosse uma hora de intervalo entre as celebrações.

Vítimas fatais

Entre as nove vítimas, uma mulher não teve sua identidade divulgada ? ela só foi reconhecida no início da tarde, e sua família ainda não foi avisada. Duas das vítimas são mãe e filha. Segundo a assessoria da Secretaria da Segurança Pública, Maria Amélia de Almeida, de 60 anos, e Acir Alves de Silva, de 79 anos, serão enterradas às 17h desta segunda-feira (19) no Cemitério Bela Vista, em Osasco, na Grande São Paulo.

Por volta das 10h30, seis dos sete corpos que estavam no Instituto Médico-Legal (IML) Central de São Paulo já tinham sido levados do local. Além da mãe e da filha, os outros cinco mortos também serão enterrados nesta segunda nos cemitérios da Saudade, em São Miguel Paulista, Chora Menino, em Santana, e no Araçá.

No final da manhã, ainda segundo a assessoria da secretaria, os corpos das duas outras vítimas fatais do desabamento ? Luiza Silva, de 62 anos e Maria de Lurdes, de 78 anos ? ainda não tinham sido liberados pelos hospitais Santa Casa de Misericórdia e Hospital das Clínicas, respectivamente, e encaminhados para o IML.

Fonte: g1, www.g1.com.br