Homem queimado ao tentar salvar crianças em ônibus volta pra casa

Homem queimado ao tentar salvar crianças em ônibus volta pra casa

Homem teve 72% do corpo queimado em atentado no dia 3 de janeiro

Chegou a São Luís na madrugada desta segunda-feira (14), Márcio Ronny da Cruz, de 37 anos, que teve 72% do corpo queimado após tentar salvar duas crianças de um ônibus incendiado, no início deste ano, na capital maranhense. Ele estava em tratamento no Estado de Goiás.

Familiares e amigos aguardavam a chegada do vendedor de frangos no Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado. Durante a recuperação em São Luís, Márcio Ronny permanecerá na casa de seus pais.

A partir de agora, o paciente só precisará ir a Goiânia uma vez por mês para revisões cicatriciais. Esse processo é necessário para que a equipe médica possa acompanhar a evolução das cicatrizes, garantindo elas não limitem o movimento das articulações de Márcio. Assim, ele poderá voltar a ter uma vida normal, sem limitações de movimento.

Em entrevista ao Jornal O Estado do Maranhão, o pai de Márcio Ronny, o aposentado José do Espírito Santos Nunes, afirmou que não fala com seu filho desde o dia dos ataques. "Ele [Márcio] é um ótimo filho. Uma pessoa boa, que ajuda a todos e não merecia ter sofrido tanto. Mas sei que ele fez isso de coração, para tentar salvar a vida de uma criança. Estou com muita saudade dele e não vejo a hora de dar um abraço nele e dizer o quanto eu o amo", disse.

Ataques

Márcio se feriu no dia 3 de janeiro, após uma série de atentados na capital maranhaense comandados por detendos do Presídio de Pedrinhas. Ele voltava do trabalho para casa quando o ônibus em que estava, na Vila Sarney Filho, foi incendiado.

O homem ajudou a retirar do ônibus duas meninas, entre elas Ana Clara Santos Sousa, 6 anos. Ele a abraçou ao sair do veículo, pois o corpo da criança estava em chamas. A garota teve mais de 90% do corpo queimado e morreu.

Fonte: G1