Rádio nega incentivo à violência sexual no Metrô em anúncio

A ação causou polêmica nesta terça-feira, após uma semana de casos de abuso a mulheres nas estações

A Rede Transamérica de Comunicação divulgou uma nota de esclarecimento sobre uma propaganda veiculada por suas emissoras na qual um personagem incentivava o ?xaveco? nos trens metropolitanos. A ação causou polêmica nesta terça-feira, após uma semana de casos de abuso a mulheres nas estações.

"Nos horário de pico é normal trem e Metrô ficá lotado. É asssim nas grande metrópole espalhada pelo mundo. Pá falá a verdade eu até gosto do trem lotado. É bom prá xavecá a mulherada né mano! Foi assim que eu conheci a Giscreusa. Muito já foi feito e o governo sabe que ainda tem muito prá faz", diz o persogame Gavião no comercial.

De acordo com a Transamérica, "o personagem é caricato e humorístico, restando claro que o testemunhal amplamente apontado tem o exclusivo intuito de entreter e divertir o público ao passar informações úteis sobre os serviços de transporte público".

"Em nenhum momento o texto incentiva atitudes lascivas, pois de forma alguma faz qualquer alusão a qualquer tipo de violência ou abuso sexual. O personagem ao empregar o termo ?xavecar a mulherada?, se refere única e exclusivamente à paquera, sinônimo da antiga conhecida cantada que de fato pode persuadir ou aproximar pessoas, formando ou não casais, conduta licita que acontece naturalmente na vida cotidiana em qualquer lugar com grande circulação de pessoas", continua o texto.

O grupo lamenta que o testemunhal tenha sido veiculado durante um período com grande incidência das ocorrências de abusos sexuais e atentados ao pudor ocorridos nas linhas de transporte público. Segundo a nota, tais atos são ?condenáveis? e a Transamérica ?jamais seria complacente?.

Apesar de negar qualquer relação entre o testemunhal aos atos de violência sexual, a emissora optou por tirar a propaganda de sua programação.

A polêmica fez com que os deputados estaduais do PT Alencar Santana e Luiz Claudio Marcolino protocolassem uma representação contra o secretário da Casa Civil, Edson Aparecido, o diretor-presidente da CPTM, Mário Manoel Seabra, e o diretor-presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco, contra a propaganda, considerada machista.

Metrô diz que vai processar a emissora

O governo do Estado informou, por meio de sua assessoria, que a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) que vai processar a rádio Transamérica por uso indevido do nome da empresa.

Segundo a nota oficial, ?nem o Metrô nem a agência Nova SB, a qual a Companhia encomendou campanha sobre obras de expansão da rede metroviária, foram informados de que tal conteúdo seria veiculado pela rádio Transamérica?. O Metrô ainda disse ?que repudia o conteúdo veiculado pela rádio Transamérica?.

Fonte: Terra