Receitas milagrosas emagrecem mesmo? Confira o que revelam os especialistas

Receitas milagrosas emagrecem mesmo? Confira o que revelam os especialistas

Todo dia nascem receitas e produtos que prometem emagrecimento rápido.

Manter o corpo em forma é desejo de toda mulher (e até mesmo de homens), no entanto, a falta de tempo para uma alimentação mais balanceada e a grande oferta de alimentos industrializados (consequência das demandas do mercado) têm contribuído bastante para o aumento de peso dos brasileiros.

Quem está com alguns quilos a mais acaba sofrendo com a ansiedade de ter um corpo perfeito e abusa das dietas, muitas vezes sem nenhum acompanhamento profissional. Segundo especialistas, nem sempre as receitas que prometem emagrecer podem trazer resultados positivos. Aliás, até podem garantir a perda rápida de peso, mas sempre trazem suas consequências.

Márcia da Costa há mais de cinco anos luta com a balança e entre idas a nutricionistas, clínicas de estética e academias, já chegou a gastar mais de R$ 3 mil para conseguir o corpo ideal. Com todas essas ações, ela conseguiu perder 15kg em dois meses, mas afirma que já recuperou boa parte deles.

Na procura por redução de medidas, Márcia radicalizou ao fazer a dieta dos líquidos, na qual toda a alimentação é feita a base de sucos, chás e água.

Não durou muito tempo e ela garante que o problema veio depois, com a recuperação do peso. ?Eu fiz duas dietas ao mesmo tempo e perdi 12 kg, mas pouco tempo depois engordei 14kg, ou seja, mais do que eu perdi.

O pior da dieta é você conseguir manter a alimentação. E essas dietas, você até consegue resultado positivo rápido, mas o negativo é que, na hora que você corta a dieta, volta a mesma coisa ou ganha até mais?, explica.

Para o nutricionista Alan Ricardo Macedo, a receita mais certa a se fazer para conseguir perder peso é passar por um processo de reeducação alimentar. Apesar dos resultados serem a médio e longo prazo, reeducação a alimentação traz resultados muito melhores.

?Dieta para perder peso é uma coisa bem individualizada. Cada pessoa tem uma necessidade específica, até porque a rotina dela vai dizer como deve ser a sua alimentação. Tudo vai ter que ser feito no cálculo, precisa consumir uma variedade grande de nutrientes e na quantidade ideal para cada pessoa?, explica o profissional.

Macedo também desmitifica o que boa parte da população acredita ser: ?Para perder peso não é preciso parar de comer. E é possível perder peso comendo chocolate e outras guloseimas. O alimento em si pode, inclusive, auxiliar tanto na perda de peso como no ganho. É possível abrir mão da dieta no final de semana para comer algo que você queira e voltar a comer alimentos saudáveis durante a semana. O ideal é ter disciplina. Essa questão de ?isso é proibido?, não existe?, pontua.

Márcia afirma que já sabe o que fazer para emagrecer e manter o peso. ?Quero dessa vez emagrecer sem remédio.

O problema da reeducação é que o resultado é a longo prazo. Perde dois, três quilos. Em um ano você consegue um resultado bom. Mas quando toma remédio é mais rápido. Na reeducação alimentar o maior controle é da própria pessoa?, conta.

Óleo de coco extravirgem dá certo?

Todo dia nascem no mercado receitas e produtos que prometem emagrecimento rápido. Muitos deles são mirabolantes e prometem perder mais de 10kg em um mês. Mas como tudo que é novidade traz suas dúvidas, não foi diferente com o produto da vez.

O óleo de coco extravirgem, comercializado tanto nos supermercados como em lojas especializadas na venda de produtos naturais, já pode ser encontrado tanto na forma de líquido, mais comum, como em cápsulas ou em balas de colágeno. Em uma loja no centro da cidade as vendas do produto aumentaram 90% nos últimos meses em virtude da ampla divulgação.

De fato, o óleo tem suas vantagens. Como gordura vegetal, chega a ser mais saudável que o óleo de soja, girassol ou milho e pode muito bem substituí-los nas refeições. Isto se deve principalmente por ser saturado, ou seja, ele se mantém estável após o cozimento, o que não acontece nos demais, que apresentam níveis de gordura trans após o processo de aquecimento.

Além disso, sua ação antioxidante, ajudando na redução do mau colesterol; o aumento que ele provoca no metabolismo e a ausência de contraindicações têm motivado muitas pessoas a usarem o produto. No entanto, ainda não há estudos científicos que comprovem a sua eficácia no emagrecimento.

Para o nutricionista Alan Ricardo, o óleo de coco possui funções que podem, na verdade, contribuir para a perda de peso. ?De uma forma indireta, como qualquer outro óleo, ele pode ter uma ação voltada para a perda de peso porque provoca uma boa saciedade. As pessoas o utilizam bem próximo à refeição e, lógico, vão ter saciedade e vão comer bem menos. É uma forma indireta, mas não pela ação provocada pelo óleo?, explica.

Fonte: Virgínia Santos