Teresina registra 6 casos de calazar em humanos em 2014

Os dados são da Fundação Municipal de Saúde, referentes aos primeiros meses deste ano

O número de casos de calazar em humanos em Teresina tem apresentado um crescimento nos últimos anos. De 2010 até 2013 o aumento foi de 39%. E o ano de 2014 já iniciou com alguns casos da doença sendo registrados na capital.

Nestes primeiros meses já foram confirmados seis casos de calazar em pessoas residentes na cidade.

Dados da Fundação Municipal de Saúde (FMS) mostram que, em 2010, foram registrados 54 casos na capital. No ano seguinte esse número subiu para 72 e chegou a 76 em 2012. No ano passado foram 75 casos da doença em Teresina.

A gerente de Epidemiologia da FMS, Amparo Salmito, afirma que essa é uma doença que se diagnosticada cedo não é difícil de ser curada. ?A doença tem tratamento e tem cura?, afirmou.

Os principais sintomas do calazar em humanos são febre intermitente com semanas de duração, fraqueza, perda de apetite, emagrecimento, anemia, palidez, aumento do baço e do fígado, comprometimento da medula óssea, problemas respiratórios, diarreia, sangramentos na boca e nos intestinos. O diagnóstico precoce é fundamental para evitar complicações que podem pôr em risco a vida do paciente.

?A pessoa deve ficar atenta se ela estiver com mais de 15 dias com febre e com um aumento na barriga, pois com o crescimento do baço e do fígado a barriga acaba aumentando consideravelmente?, pontuou.

Para se prevenir, é preciso que se mantenha a casa limpa e o quintal livre dos criadores de insetos. O mosquito-palha vive nas proximidades das residências, preferencialmente em lugares úmidos, mais escuros e com acúmulo de material orgânico.

Ele ataca nas primeiras horas do dia ou ao entardecer. É importante também que as pessoas cuidem bem da saúde do seu cão. Ele poderá transformar-se num reservatório doméstico do parasita, que será transmitido para pessoas próximas e outros animais não diretamente, mas por meio da picada do mosquito vetor da doença.

?O vetor, que é um mosquito, precisa de sangue humano ou de qualquer animal para completar o seu ciclo. Como o cão é o animal doméstico mais próximo do homem, ele acaba sendo um dos que requerem mais cuidado?, disse.

Fonte: Pollyana Carvalho