Repórter "global" que atendeu celular ao vivo foi vítima de erro

A emissora informou também que a repórter continua trabalhando e não será demitida.

A jornalista que interrompeu ao vivo sua reportagem sobre os quitutes juninos de uma feira em Curitiba, no Paraná, para atender o celular que estava no seu bolso foi vítima de um erro técnico.

A RPC (Rede Paranaense de Comunicação), afiliada da Rede Globo no Paraná, afirmou que não vai se pronunciar oficialmente sobre o episódio ocorrido com sua repórter Gizah Batista, mas confirmou que o caso já aconteceu há um mês.

Segundo a emissora, o fato aconteceu por uma falha de comunicação no sistema de retorno dos repórteres ao vivo, o chamado ponto eletrônico --quando eles se comunicam com o resto da equipe por meio de um aparelho colocado no ouvido. O celular pode ser usado no lugar do ponto, já que o jornalista pode acoplar um fone de ouvido ao telefone. A repórter teria atendido o celular por acreditar que não estava mais no ar.

A emissora informou também que a repórter continua trabalhando, não será demitida, e já fez outras entradas ao vivo.

Fonte: UOL