Revisão Enem da Seduc reúne mais de 2 mil alunos em Teresina

Transmissão para todo o Piauí pela TV Meio Norte

Mais de 2 mil estudantes do Piauí, que estão em preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), participaram da segunda revisão da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), das 8h às 13h deste domingo (23), em Teresina. Quem não pôde ir até o local acompanhou tudo de casa, pela transmissão ao vivo da TV Meio Norte.

A Seduc, desde 2003,disponibiliza aos alunos da rede estadual e egressos preparatórios e revisões para vestibulares e, mais recentemente, para o Enem. As revisões do Enem já se tornaram tradição com professores renomados e experientes em áreas de concursos, repassando o conteúdo de sala de aula, dando dicas e tirando dúvidas dos estudantes interessados em ingressar numa instituição de ensino superior. 

Wellington Soares, coordenador do evento, destaca que a Seduc procura revisar todos os conteúdos explorados no Enem. “Na realidade, no ensino médio eles já viram tudo até o segundo ano, o terceiro ano é revisão e aqui é a revisão da revisão. São aquelas dicas finais, os ajustes. Todos os professores são orientados a explorarem o que é mais cobrado no Enem”, comenta o coordenador ao frisar que a revisão busca contemplar dois aspectos: a revisão do conteúdo e o preparo psicológico dos estudantes, melhorando a autoestima deles, levando-os a acreditar que é possível alcançar a aprovação.

Além dos alunos que receberam as dicas durante a aula presencial, a previsão é de que outros seis mil tenham acompanhado, por intermédio da Mediação Tecnológica, em 177 municípios. O objetivo desta transmissão ao vivo (via satélite),através do Mais Saber para todo o interior do Estado, é fazer com que os alunos do interior tenham a mesma oportunidade dos que estão na capital.

“Além das duas emissoras que estão transmitindo, entre elas a Meio Norte, que chega a várias cidades, também temos a mediação tecnológica. Os alunos estão assistindo aulas online em 300 salas espalhadas pelo Piauí”, acrescenta Wellington Soares.

Na segunda revisão foram abordadas as disciplinas de Física, Química, Biologia, História e Geografia. O evento foi aberto ao público e teve entrada gratuita. O material didático foi distribuído gratuitamente aos alunos, que também receberam lanche no intervalo programado. Estão previstas para o mês de setembro mais duas revisões e, em outubro, mais uma ou duas.

Aos 76 anos, Osmarina quer cursar História

Osmarina Duarte de Sousa, aos 76 anos, já sabe que a revisão do Enem é um preparatório para que os alunos da rede pública tenham uma oportunidade de revisar seus conhecimentos antes de realizar a prova que dá acesso ao ensino superior. Por isso, além de participar de todas as revisões, ela também faz o cursinho de pré-vestibular, de segunda a sexta-feira.

Com um começo da vida difícil, sem ter acesso à educação, ela resolveu voltar a se dedicar e buscar uma formação. “Quando eu era jovem, morava na roça e com o passar do tempo fui conhecendo o valor dos estudos”, conta.

Osmarina, hoje, já terminou o ensino médio e fez o Enem cinco vezes. Sua intenção é conseguir uma vaga no curso de História, independente da instituição. “Só vou parar de fazer o Enem quando conseguir passar. Onde der para eu entrar eu vou tentar uma vaga”, acrescenta ela, que mora sozinha no residencial Deus Quer, zona Sudeste de Teresina.

Estudantes de outros municípios participaram

Algumas caravanas de outras cidades chegaram cedo a Teresina para mais uma revisão gratuita do Enem. Milena Alves, estudante da Unidade Escolar César Leal, localizada no
município de Pau D’arco do Piauí, levantou às 5h e saiu da cidade, com outros 20 estudantes, às 6h da manhã. 

Ela quer concorrer a uma vaga no curso de Direito e sempre está acompanhando as revisões, na busca por mais conhecimento. Através do Programa Mais Saber, ela tem aulas às sextas, sábados e domingos, das disciplinas cobradas no Exame. “Estamos nos preparando através destas aulas e hoje preferimos acompanhar de perto as orientações dos professores”, relata a aluna de 17 anos. Jucélio Nonato também veio na caravana que saiu de Pau D’arco. Aos 25 anos, ele já cursa História em uma faculdade no município de Altos, mas pretende fazer outro curso.

“Vou tentar Agronomia, que é o que quero de verdade”, destaca ao frisar que na revisão se tem uma maior preparação. “É a primeira vez que participo e estou guardando todas as dicas dos professores”, completa ele, que é ouvinte do Programa Mais Saber no município.
Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Fonte: Aline Damasceno