Rodoviária rural precisa de reforma urgente

Local não possui banheiros adequados e o mal-cheiro incomoda os usuários. Falta de abrigo causa transtornos

Os usuários da rodoviária rural de Teresina tem muitas reclamações a fazer. Elas vão desde a falta de banheiros até as más condições dos ônibus que, não raramente, tem problemas de mecânica e terminam causando transtornos à população. De acordo com o último censo realizado pelo IBGE, 38 mil pessoas moravam na zona rural de Teresina.

Normalmente, os ônibus rurais já foram usados por dez anos ou mais no transporte público urbano. Eles são apenas adaptados e ainda continuam nas estradas por muito tempo.

Em relação à estrutura do terminal, o gerente de transporte rural da Strans, Francisco das Chagas Lopes, admite a necessidade urgente de reforma, mas afirma que isso depende da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, da Superintendência de Desenvolvimento Urbano centro/norte e da própria Strans.

Atualmente, o local não possui banheiros adequados e o mal-cheiro incomoda os usuários. Além disso, a falta de abrigo causa transtornos no verão, devido o forte calor, e no inverno, quando não há onde se proteger das chuvas. ?A ausência de banheiro e de abrigo é desumano. Já pedi urgentemente uma reforma, mas não depende só de mim?, afirma Lopes.

A moradora do povoado Tapuia, Milagres Pereira Dutra, reclama também que a quantidade de ônibus é insuficiente. ?Quando dá o prego, a gente tem pegar outro e caminhar muito até chegar em casa?, disse. Maria da Anunciação, por exemplo, chegou no terminal às 10h da manhã e só poderá sair às 11h30.

Segundo informações do administrador da rodoviária rural, Edmilson Carneiro, 10 empresas fazem 32 linhas, realizando um total de 111 viagens diariamente. A Strans estima que, nos cinco primeiros dias do mês, quando o movimento é maior, os ônibus transportem mais de cinco mil passageiros por dia.

Fonte: Nayara Felizardo