Salva-vidas é filmado acariciando corpo de mulher em praia no seu horário de trabalho

O salva-vidas deve ser ouvido para apresentar defesa. O processo pode durar até 90 dias para ser concluído.

Um guarda-vidas foi filmado, na terça-feira (13), conversando e passando a mão no corpo de uma banhista na Praia da Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus. As imagens, registradas pela TV Amazonas, fizeram com que o Corpo de Bombeiros instaurasse procedimento administrativo para analisar a conduta do servidor, que estava em horário de expediente.

 No vídeo, o guarda-vidas se aproxima e começa a conversar com uma mulher que estava deitada de bruços na praia. Ele olha para os lados e verifica se há alguém olhando. Em seguida, ele volta a falar com a mulher e passa a mão pelo corpo da banhista como se estivesse retirando areia. Depois, o homem continua conversando com a mulher e deixa o local. Poucas pessoas estavam na praia do momento do ocorrido.

Para o tenente do Corpo de Bombeiros, Janderson Lopes, a atitude do guarda-vidas não foi correta pois ele estava em horário de trabalho. "Pelas imagens a gente vê que parece algum tipo de intimidade entre os dois, algo que, se ele não estivesse de serviço, seria uma coisa até natural, mas estando ele de serviço essa postura deve ser avaliada pela corporação", explicou o representante dos bombeiros.

O vídeo da ação foi encaminhado para a análise do Corpo de Bombeiros, que abriu processo administrativo para avaliar a conduta do militar. O salva-vidas deve ser ouvido para apresentar defesa. O processo pode durar até 90 dias para ser concluído.

O bombeiro corre risco de ser expulso da corporação, segundo declarou o tenente Janderson Lopes. "Dependendo da gravidade, da ação sendo enquadrada no nosso regulamento, ele pode ensejar até a expulsão do militar", disse.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: G1