Salve Rainha: promotor pede a prisão preventiva de Moaci Júnior

MP denunciou Moaci Moura Júnior por duplo homicídio doloso

A 14ª Promotoria de Justiça de Teresina, do Núcleo do Tribunal do Júri, ofereceu hoje (02) a denúncia contra Moaci Moura da Silva Júnior, condutor envolvido no acidente que provocou a morte dos irmãos Bruno Queiroz de Araújo Costa e Francisco das Chagas de Araújo Costa Júnior, além de ter causado diversas lesões ao jornalista Jader Cleiton Damasceno de Oliveira.

O Promotor de Justiça Ubiraci Rocha, que assina a denúncia, ressaltou ainda que Moaci Moura empreendeu fuga do local do acidente sem prestar ou solicitar socorro para as vítimas, mesmo em situação em que não havia risco à sua integridade física.

Moaci Moura estava embriagado quando causou o acidente (Crédito: Reprodução)
Moaci Moura estava embriagado quando causou o acidente (Crédito: Reprodução)

Para o representante do Ministério Público, os elementos mostram que o acusado agiu com dolo eventual, praticando os crimes de duplo homicídio, lesão corporal de natureza grave e evasão do local do acidente. O Promotor de Justiça requereu ao Poder Judiciário a aceitação a denúncia, com determinação para que Moaci Moura da Silva Júnior seja citado e responda à acusação, por escrito, no prazo de dez dias. Em seguida, devem ser ouvidas as testemunhas e interrogado o réu, atos que culminarão na decisão de pronúncia, para posterior submissão a julgamento pelo Tribunal Popular do Júri.

Prisão

O Promotor de Justiça Ubiraci Rocha protocolizou, na manhã de hoje, um requerimento de prisão preventiva, sob a justificativa de o crime ter alto impacto social, dada a comoção que a morte dos jovens causou, e por entender que Moaci Moura assumiu o risco de provocar o acidente. 

“Trata-se de crime com alto impacto no meio social, considerando a comoção pela morte de dois jovens em um fatídico acidente de trânsito, perpetrado por um acusado igualmente jovem, que, assumindo o risco de provocar tal fatalidade, ingeriu bebidas alcoólicas em excesso, e logo em seguida, tomando o volante de veículo automotor, empreende velocidade excessiva. Desrespeitando a sinalização de trânsito, ultrapassa um semáforo fechado, colidindo e vitimando três pessoas com as quais não possuía qualquer relação. Está claro que manutenção da sua liberdade revela a total desestabilização da ordem pública vigente. Ou seja, estamos diante de uma situação em que a ordem pública deve ser estabilizada com a restrição da liberdade do acusado”, argumentou o representante do Ministério Público.

O acidente

No último dia 26, três jovens seguiam em um Fusca pela avenida Miguel Rosa quando um motorista avançou o sinal vermelho e colidiu contra o carro, que era guiado por Bruno Queiroz, que teve morte imediata.

O irmão de Bruno, Francisco das Chagas Júnior, ainda chegou a ser socorrido, mas, morreu dias depois no Hospital de Urgências de Teresina. "Chaguinha", como era conhecido, foi um dos fundadores do coletivo Salve Rainha, que leva intervenções artísticas a locais abandonados de Teresina.

Bruno Queiroz e seu irmão, Francisco das Chagas Júnior, morreram no acidente (Crédito: Reprodução)
Bruno Queiroz e seu irmão, Francisco das Chagas Júnior, morreram no acidente (Crédito: Reprodução)

O motorista que causou a colisão estava embriagado e foi preso em flagrante, sendo solto no dia seguinte após um juiz, em uma audiência de custódia, estipular fiança de 7 mil reais.

Fonte: Portal Meio Norte