Samvis avalia agressão sexual a bebê. "caso é assustador"

Coordenadora do Samvis concedeu entrevista coletiva

A coordenação do SAMVIS - Serviço de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência Sexual, através da Drª Maria Castelo Branco, durante entrevista na Maternidade Evangelina Rosa, falou sobre o atendimento ao bebê de um ano e três meses que foi estuprado no município de Pedro II, norte do Piauí.

Segundo ela, o caso é assustador e por mês, mais de 30 atendimentos são realizados de mulheres que sofrem atos de abuso sexual, inclusive crianças . "É um caso grave. Se as imagens fossem mostradas, iriam ultrapassar todos os limites de até onde pode se chegar o nível de agressão a uma mulher e principalmente a um bebê. A criança passa bem fisicamente, mas mentalmente ninguém sabe se isso vai ser superado por ela. A criança sente dor e chora, mas o que vai causar de trauma para a vida dela, isso não tem preço. Um caso que não está bem contado", disse.

Segundo a Drª Maria Castelo Branco, na Maternidade Evangelina Rosa, mais de trinta casos de violência contra as mulheres são registrados por mês. Cerca de um caso por dia. " Outros casos de abuso não foram tão violentos como esse, mas nós chegamos a atender 50 casos em um mês. Em julho, atendemos 40 vítimas". informou.

Image title

Fonte: Portal Meio Norte