Seca exige nova cultura de convivência no semiárido do Piauí

Seca exige nova cultura de convivência no semiárido do Piauí

Um modelo de convivência com a seca requer uma série de ações, como para aproveitar a chuva, a desobstrução e limpeza de pequenas barragens e barreiro

?Uma nova cultura de convivência com o semiárido? é o que dizem agricultores e técnicos defensores de um modelo de convivência com a seca, isso requer uma série de ações, reservatórios de água para aproveitar a chuva é uma delas, dentre outros fatores possíveis e necessários.

O estado do Piauí, tem em todo o seu território, mais de 200 barrageiros e a Defesa Civil trabalhando no equipamento de 400 poços. Assim, como desobstrução e limpeza de pequenas barragens e barreiros, para captar as chuvas que venham a cair no ano.

Segundo Samuel de Oliveira, da diretoria de Projetos Especiais da Defesa Civil, os barreiros além de servir como fonte de acúmulo de água para o consumo animal, deve ajudar no plantio da agricultura familiar, e nas pequenas hortaliças que são fonte de renda para uma boa parte dos produtores familiares.

?A limpeza e a desobstrução desses barreiros além de ser de suma importância pelas circunstancia não será suficiente para o desabastecimento de água por meio de carro pipa, tendo em vista que os carros pua potável, ou seja, água essencialmente para o consumo humano?, diz Samuel.

Samuel também claro ao apontar algumas outras alternativas para a chamada convivência com o semiárido, já que os problemas com o baixo nível de chuvas é características dessas regiões, mas as ações dependem do esforço humano. Para Samuel, a saída para a extinção ou diminuição da dependência de carros pipas seria a perfuração de mais poços, a construção de pequenas, médias e grandes adutoras para interligação para as casas, seja na zona urbana e especialmente na zona rural.

Atualmente foram construídas, conjuntamente com o Ministério da Integração, pequenas adutoras e a segunda etapa deste projeto contempla mais de 40 municípios.

?Esta etapa está em fase bem avançada no projeto básico, faltando alguns detalhes para que possa ser executado para daí começarmos a diminuir substancialmente a dependência dos carros-pipas?, diz Samuel.

Fonte: Raimundo Barbosa e Sarah Fontenelle