Secretaria de Cultura e APL lançam obras de 100 autores piauienses

Entre os projetos discutidos estava justamente o incentivo

Secretaria Estadual de Cultura está restabelecendo a política de edição de obras assinadas por escritores piauienses e, em parceria com a Academia Piauiense de Letras, vai colaborar com o lançamento de cerca de 100 livros a partir de agosto.


Image title

“A ideia é que todos os meses seja lançado um livro de um autor piauiense. A Academia seleciona a obra e o lançamento acontece no Café Literário Genu Moraes, no Teatro 4 de Setembro. A primeira obra já foi selecionada e boa parte delas tem o apoio da Lei de Incentivo à Cultura”, explica o secretário estadual de cultura, Fábio Novo.

O presidente da Academia, Nelson Nery, diz que os lançamentos fazem parte do projeto “Coleção Centenário”, cujo principal objetivo é promover o resgate de obras mais antigas, que se perderam com o passar dos anos. Porém, a coleção também vai reunir autores da atualidade.

“A Academia constatou que de 1950 para cá muitas obras produzidas se perderam. Queremos resgatar e relançar esses livros. Essa é uma oportunidade para que os leitores conheçam um pouco mais da nossa cultura e da nossa história através dessas obras. A parceria com a Secretaria de Cultura é essencial para esse projeto”, diz o presidente da APL.

Segundo Nelson Nery, pelo menos a metade dos livros da coleção – que serão lançados até 2017 – já está editada. Entre os autores que terão livros republicados está Leonardo Castelo Branco, com a poesia do século XIX. Tem também o título “Impressões e Gemidos”, assinado por José Corelano. Este último foi escrito no período em que a cidade de Crateús (hoje pertencente ao Ceará) ainda fazia parte do Piauí. Entre os autores da atualidade está Laécio Barros Dias, com o livro “O Sertão Piauiense em Pé de Guerra”.

Parceria vai incentivar a leitura nas penitenciárias do Estado

A parceria da Secretaria Estadual de Cultura com a Academia Piauiense de Letras vai levar a coleção de livros de autores piauienses para as unidades prisionais do Piauí. O presidente da APL, Nelson Nery, afirma que Academia vai doar alguns exemplares que serão utilizados com essa finalidade.

O secretário estadual de Cultura, Fábio Novo, se reuniu recentemente com o secretário estadual de Justiça, Daniel Oliveira, quando firmaram o compromisso de atuarem juntos com projetos de ressocialização voltados para o sistema prisional do Estado.

Entre os projetos discutidos estava justamente o incentivo à leitura de obras piauienses. Além de ocuparem o tempo com a leitura, os internos poderão ter acesso à remição da pena, ou seja, a cada livro lido será abatido três dias no tempo de cumprimento da pena. 

Fonte: Com informações do Assessoria