Secretaria de Saúde enxuga as regionais e descentraliza gestão

A meta é que se tenha mais celeridade nas questões burocráticas

Em reunião na manhã de ontem com os gestores responsáveis pelas Superintendências de Atenção Integral (SUPAT), a Secretaria de Saúde divulgou o novo desenho territorial encaminhado pelo Executivo, versando para a maior participação das regionais no Piauí, nisso, o número passará de 18 para 11, indicando para o reagrupamento estabelecido no Plano Diretor de Regionalização (PDR) da pasta. Com a ação, será ampliado o papel dos núcleos no desenvolvimento de políticas públicas para a área. “A necessidade de regiões de saúde com gestores regionais representando a Secretaria de Saúde tem ocorrido na própria legislação dos SUS, que tem cobrado do Estado uma redefinição desse papel que tende a ampliar, principalmente dentro do componente mais técnico, ampliar a participação e o papel que as regionais têm dentro das discussões da conjuntura da saúde no Estado”, explicou a superintendente Cristiane Moura Fé.

Com a modificação, a meta é que a participação ajude na celeridade das questões burocráticas, prospectando melhorias no atendimento da população dos municípios abarcados por cada região. A iniciativa as afasta apenas do apoio administrativa, angariando uma função mais complexa, de modo que serão cobradas por resultados. Tal perspectiva foi explicitada pela gestora. “Vamos dotar essas regionais da capacidade para incorporar esse papel mais especializado em cada região de saúde”, disse.

A maior capacidade de intervenção abrange principalmente as atividades primárias, aproximando-as da supervisão e desenvolvimento das ações, nesse aspecto aumenta a chance de identificar os problemas pontuais de cada população, facilitando na adoção de soluções especificas.

Fonte: Francy Teixeira