Seis turistas são presos por usar credenciais falsas no Maracanã

Seis turistas são presos por usar credenciais falsas no Maracanã

Seis turistas estão presos no Complexo de Gericinó por usar credenciais falsas para entrar no Maracanã

Quatro turistas chilenos, um paraguaio e um colombiano estão presos desde a tarde de sexta-feira na Cadeia Pública José Frederico Marques, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu. A informação foi confirmada ao Jogo Extra pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária. Todos eles foram presos em flagrante com credenciais falsas durante o jogo entre Espanha e Chile, na quarta-feira, no Maracanã. Segundo a Polícia Civil, o ?delegado de plantão mandou o caso para a Justiça, que converteu a prisão em preventiva?.

O colombiano Juan Carlos Arce Carceres e o paraguaio Luis Javier Costa e os chilenos Victor Ramon Reys Pozo, Victor Alfonso Fronteras Castillo, Jorge Alfonso Rodriguez e Fabian Alejandro Pino vão responder por falsificação e uso de documento público e, ao fim do processo, podem pegar pena de até cinco anos de reclusão. Todos os seis foram detidos por seguranças enquanto circulavam já na parte interna do estádio.

No caso do colombiano, segundo consta no registro de ocorrência feito na 18ª DP (Praça da Bandeira), antes do jogo, ele circulava próximo à entrada do portão E com uma credencial sem foto que tinha somente a inscrição ?Seleção argentina?. Um segurança do estádio estranhou e encaminhou o estrangeiro a PMs. Os chilenos Victor Ramon e Fabian foram flagrados na área VIP por outros torcedores, que estranharam a diferença entre as credenciais. A dupla foi encaminhada aos seguranças. Jorge, Luis Javier e Victor Alfonso foram surpreendidos quando estavam sentados na arquibancada esperando o início da partida.

No Rio, esse é o primeiro caso, desde o início da Copa do Mundo, em que estrangeiros que vieram ao Brasil acompanhar os jogos de suas seleções são mantidos acautelados em uma penitenciária. Na terça-feira, um turista costa-riquenho de 56 anos foi preso por exploração sexual de uma adolescente. Ele foi preso quando foi comunicar à polícia que havia sido furtado por um travesti, que era menor. O estrangeiro foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória, em Parnamirim, próximo a Natal.

O prazo de 72 horas dado pela Polícia Federal aos 85 chilenos detidos após invadirem o Centro de Mídia do Maracanã se esgotou à meia-noite de hoje. Se algum deles descumpriu a decisão e for localizado, será deportado.

Fonte: Extra