Sem Garantia Safra, agricultor passa fome no PI

Sem Garantia Safra, agricultor passa fome no PI

MDA não aprovou relatórios enviados pelos municípios.

Os agricultores do município de São Francisco de Assis do Piauí estão sofrendo com a falta de chuvas na região. Muitos já perderam mais de 50% da safra e algumas famílias estão passando fome. A situação se agrava pois o Seguro Garantia Safra não foi liberado para o município e os agricultores não sabem como contornar os prejuízos.

O pároco da cidade, padre Geraldo Gereon, organizou a coleta de donativos para os agricultores e fez a doação dos alimentos arrecadados na última quarta-feira, 18. Foram doados 5.600 quilos de alimentos para 83 famílias da comunidade Atrás da Serra, zona rural de São Francisco de Assis do Piauí.

O padre Geraldo Gereon também recolheu assinaturas de 861 agricultores em um abaixo assinado para ser enviado junto a um manifesto para a presidente Dilma Rousseff, falando sobre a situação dos agricultores da região.

Mais de 30 municípios piauienses podem ficar sem receber o benefício do Seguro Garantia Safra (SGS). O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) não aprovou os relatórios enviados pelos municípios comunicando perdas em sua produção agrícola, e com isso os agricultores desses municípios não terão direito ao SGS.

O Garantia Safra é disponibilizado para os agricultores dos municípios onde houve perda de mais de 50% da produção. o Piauí, trinta e oito municípios encaminharam o relatório de perdas ao MDA. O ministério considerou que em 35 deles as perdas foram inferiores a 50%, índice mínimo para o pagamento do seguro.

A liberação do SGS para o Piauí é solicitada por meio da avaliação dos dados informados por três instituições diferentes: Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Emater), Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o prefeito de Paulistana, Luís Coelho, o Emater é quem vivencia a realidade e o dia-a-dia da região analisada e quem relata as dificuldades que a produção agrícola de cada região enfrenta.

O papel do Inmetro é avaliar os índices pluviométricos de cada região e o IBGE leva em consideração os valores divulgados pelo Inmetro.Luís Coelho conta que a análise do índice pluviométrico não é fator suficiente para determinar o tamanho das perdas.

“A regularidade das chuvas também deve ser considerada pelo MDA. Com chuvas irregulares a produção de grãos fica comprometida. O feijão e o milho que são os carros-chefes da agricultura familiar no semiárido, são prejudicados com a irregularidade das chuvas. Para isso é necessário o seguro”, diz.

O QUE É?

O SGS beneficia os agricultores familiares dos municípios que registrarem perda de pelo menos 50% na produção agrícola com quatro parcelas mensais de R$ 640.

Os municípios de Paulistana e de Picos inscreveram, cada uma, cerca de 2 mil agricultores.

De acordo com o presidente do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Picos, Ricardo de Araújo, os agricultores do município já estão passando necessidade por conta das perdas no campo.

Fonte: Juarez Oliveira