Servidores da ADAPI iniciam greve por planos de carreira

O objetivo da reunião foi discutir as reivindicações da categoria que exige a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários

Na manhã de sexta-feira, 02, os servidores da Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (ADAPI) declararam greve por tempo indeterminado numa assembleia realizada no auditório do Cerest (Centro de Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador).

O objetivo da reunião foi discutir as reivindicações da categoria que exige a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários, que foi publicado em janeiro, mas nunca foi executado.

Segundo o servidor e tesoureiro da Associação dos servidores da Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (ASDAPI), Daniel Albuquerque, os servidores receberam um reajuste de 5% e o plano previa novos reajustes no decorrer dos meses. "Só foi feito o primeiro reajuste e nenhum servidor for reenquadrado nem por tempo de serviço, nem por qualificação", reclama.

Ele informa que os grevistas também estão pleiteando redução na jornada de trabalho que hoje é de 08 horas, divididas 02 turnos, para 06 horas corridas.

Acrescenta que outra exigência se refere aos concursados que precisam ser chamados para assumir seus postos no órgãos. Ele informa que o já se passaram quase 03 anos depois do resultado do concurso e dos 30 aprovados, no concurso só 11 foram convocados.

"Hoje temos um déficit de funcionários, principalmente para fazer fiscalização em campo", aponta Daniel.

O presidente da ASDAPI, Wilson Alexandre Pinheiro Carvalho, informa que o movimento é forte e só vai encerrar quando as reivindicações forem atendidas. " Foi decidido que vamos entrar em greve a partir de hoje por tempo indeterminado, até que o governador realize a implantação do plano de cargos e salários", afirma.

Fonte: Vicente de Paula