Sindicato repudia agressões contra jornalistas em protesto

Entidade pediu às autoridades "garantia de integridade física e direito à liberdade de imprensa

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo divulgou nota de repúdio contra as agressões sofridas por profissionais pela Polícia MIlitar durante a cobertura do protesto contra o aumento das tarifas do transporte público na capital paulista. "Novas cenas de agressões aos jornalistas foram presenciadas no início da noite desta quinta-feira", diz o texto, citando o jornalista Pinheiro Locateli, da revista CartaCapital, e o fotógrafo do Terra Fernando Borges como "vítimas de violência policial".

A entidade também exigiu a libertação do jornalista Pedro Ribeiro Nogueira, do Portal Aprendiz, "detido arbitrariamente durante os protestos contra o aumento das tarifas do transporte público na noite de terça-feira" e solicitou às autoridades "garantia de integridade física e direito à liberdade de imprensa aos profissionais" que trabalham na cobertura jornalística das manifestações.

Prevendo novos conflitos, a direção do sindicato informou que enviou ofício à Secretaria de Segurança Pública do Estado, ao Tribunal de Justiça de São Paulo, à Ouvidoria das Polícias de São Paulo, às corregedorias das polícias Civil e Militar, aos comandos da PM e Guarda Civil Metropolitana, ao Palácio dos Bandeirantes e à Assembleia Legislativa, entre outros, "exigindo providências contra as arbitrariedades ocorridas contra os jornalistas".

Leia o documento:

Tendo em vista que muitos jornalistas foram agredidos e detidos por autoridades policiais enquanto realizavam seu trabalho jornalístico, fato ocorrido na última manifestação e amplamente divulgado pela imprensa, solicitamos garantia à integridade física e o direito à Liberdade de Imprensa aos Jornalistas que cobrem o evento para que possam trabalhar sem o ?risco? de serem detidos ilegalmente ou constrangidos no exercício da função de informar o cidadão sobre este acontecimento de importância pública relevante.

Conforme assegura a Constituição Federal, a Liberdade de Imprensa e o Direito à Informação são requisitos fundamentais da democracia e dos princípios republicanos que norteiam o Estado brasileiro e o trabalho do jornalista tem por objetivo cobrir e dar publicidade imparcial aos fatos ocorridos.

Fonte: Terra