Sistema Meio Norte realiza capacitação de profissionais na prevenção de acidentes decorrentes do trabalho

Sistema Meio Norte realiza capacitação de profissionais na prevenção de acidentes decorrentes do trabalho

A Cipa tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho

O Sistema Meio Norte realizou neste sábado um treinamento com equipe de 12 profissionais da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) que atuam na empresa.

A CIPA tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

Segundo a psicóloga Karolinny Ramalho, Coordenadora de Recursos Humanos do Sistema Meio Norte esse é o primeiro treinamento deste ano com essa equipe. “Nosso objetivo é treinar nossos profissionais para que entendam mais sobre a NR5 (Norma Regulamentadora) e para que possam atuar de forma mais capacitada”, disse Karolinny informando que o setor trabalha em parceria com o técnico em Segurança do Trabalho, Carlos Alberto.

A capacitação tem a parceria do Senac que através do engenheiro de Segurança Luis Carlos deu o treinamento para os profissionais.

O Ministério do Trabalho estabelece que todas as empresas públicas e privadas têm a obrigação de desenvolver esse trabalho da NR5.

De acordo com Luis Carlos é importante que as empresas trabalhem para garantir a prevenção de acidente nas atividades em todas as suas atuações, tanto na parte administrativa como na parte operacional tem que haver atuação da CIPA. “Esse treinamento veio para reforçar, disciplinar e também conceder informação para que os profissionais do Sistema Meio Norte possam desenvolver o trabalho com segurança e para que todos os trabalhadores da empresa retornem para suas casas e famílias com tranquilidade”, diz o engenheiro.

O Ministério do Trabalho diz que o treinamento para CIPA deverá contemplar, no mínimo, os itens como: estudo do ambiente, das condições de trabalho, bem como dos riscos originados do processo produtivo; metodologia de investigação e análise de acidentes e doenças do trabalho; noções sobre acidentes e doenças do trabalho decorrentes de exposição aos riscos existentes na empresa; noções sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – AIDS; noções sobre as legislações trabalhista e previdenciária relativas à segurança e saúde no trabalho; princípios gerais de higiene do trabalho e de medidas de controle dos riscos; organização do CIPA e outros assuntos necessários ao exercício das atribuições da Comissão.

“No treinamento tentamos colocar situações práticas para que eles possam desenvolver como investigação de acidentes, identificação dos riscos e até mesmo a parte trabalhistas dos funcionários para que saibam que é obrigação deles aprender os dispositivos da norma, como uso do DPI que é um dos fatores que mais causam acidentes”, conclui Luis Carlos.

Fonte: Maura Duarte