Sobe para três o número de mortos após chuvas no Rio de Janeiro

Enéas Paes Leme, de 55 anos, estava sumido desde a última quinta (3).

O corpo do funcionário da Cedae Enéas Paes Leme, de 55 anos, que trabalhava em umas das represas que abastecem Xerém, distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi encontrado no início da noite deste sábado (5).



Com a confirmação do óbito, sobe para três o número de mortos em decorrência das fortes chuvas que atingiram o estado na última quinta (3).

Enéas estava desaparecido desde a madrugada de quinta (3), quando um temporal desvastou a cidade. Segundo informações da Cedae, o corpo foi localizado próximo à estação que a Cedae mantém dentro da Reserva Biológica do Tinguá, onde ele trabalhava.

"Não fiz o reconhecimento, pois não tenho coração para isso. Mas o filho dele fez isso pr mim. Receber uma notícia dessa provoca um sentimento de tudo o que há de ruim no mundo. É muito triste", disse a esposa de Enéas, a dona de casa Elizabeth Paes Leme, que não soube informar quando nem onde será o enterro.

Neste sábado foram enterrados os corpos das outras vítimas do temporal que atingiu o estado durante a semana. O aposentado Luiz Carlos da Silva, de 63 anos, levado pela correnteza do Rio Capivari, foi sepultado no Cemitério Nossa Senhora de Fátima, em Santa Cruz da Serra.

Já o corpo de Roberto Maggessi de Souza, de 49 anos, que morreu após ser atingido por uma árvore durante deslizamento de terra no Alto da Boa Vista, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foi enterrado no início da tarde, no Cemitério São Francisco Xavier, no Cajú, também na Zona Norte da cidade. Segundo a irmã de Roberto, a ex-deputada Federal Marina Maggessi, ele deixa esposa e dois filhos.

Fonte: G1