Sujeira, mau cheiro e lixo causam mal à saúde de  moradores da z. Norte

Sujeira, mau cheiro e lixo causam mal à saúde de moradores da z. Norte

Não é a primeira vez que os moradores do entorno da lagoa denunciam o fato ao Jornal Meio Norte.

A falta de educação e de comprometimento com a saúde das pessoas está visível na atitude de moradores, carroceiros e pessoas de outros pontos da cidade, que insistem em jogar lixo às margens da lagoa que contorna a Vila Mocambinho III. Não é a primeira vez que os moradores do entorno da lagoa denunciam o fato ao Jornal Meio Norte. Só que a cada dia que passa a situação se agrava, muito embora a Prefeitura de Teresina, através da superintendência de Desenvolvimento Centro-Norte (SDU-Centro-Norte), limpa a área, mas de nada adianta.

Eles dizem que no dia seguinte após a limpeza, as pessoas voltam a jogar lixo às margens da lagoa, e que boa parte desse lixo está se ?alojando? dentro da lagoa. Diariamente são jogados no local, desde lixo orgânico até restos de móveis, entulhos que danificam o meio ambiente e prejudicam a saúde das pessoas. ?O mau cheiro é insuportável, principalmente para quem mora nas proximidades da lagoa, como é meu caso e também porque tenho filho pequeno. Já que não tem como a gente impedir de jogarem lixo na lagoa, o jeito é a prefeitura mandar limpar toda semana?, comenta a dona de casa Francisca Ribeiro.

Ela diz que além do lixo a lagoa está cheia de aguapés. ?Os garis estão retirando os aguapés, mas acho que vão levar meses, porque eles passam o tempo todo parados, jogando dominó ou conversando debaixo das árvores. A prefeitura poderia aproveitar e mandar os garis limpar a sujeira às margens da lagoa e colocar um fiscal, para que eles façam melhor, o trabalho?, diz a dona de casa Francisca Ribeiro.

Outra dona de casa, que também está revoltada com a situação do lixo, é Maria do Amparo Rodrigues. ?Quem tem criança sabe o que é conviver com uma situação como essas. O mau cheiro é insuportável, sem contar que essa área próxima à lagoa antes tinha uns baquinhos, mas com o tempo os bancos foram sendo quebrados e o local virou um verdadeiro lixão?, enfatiza a dona de casa, acrescentando que ao menor descuido, as crianças são pegas brincando em cima do lixão?, observa Maria do Amparo.

Outro grave problema, dizem as moradoras, é o fato de o local, mesmo cheio de lixo, está sendo usados para usuários de drogas. ?Eles usam drogas, à noite, brigam e às vezes acontece até tiroteio. A gente não sai mais de casa, à noite, com medo das confusões entre os usuários de drogas?, comentam as moradoras. A dona de casa Roberta Xavier conta que muitas vezes ela mesma varre a área onde as pesoas jogam lixo, com o intuito de amenizar a situação. ?Eu limpo o que posso, mas é difícil manter o local limpo por muito tempo?, diz a moradora, acrescentando que diariamente as donas de casa brigam com os carroceiros, que estes não joguem lixo próximo de suas casas.

Fonte: Lindalva Miranda