Surto de meningite coloca Teresina em estado de alerta

Até agora, foram quatro casos confirmados da doença, com uma morte

Um surto de meningite tem acometido o bairro Cidade Leste, na zona leste de Teresina e deixado a população em estado de alerta. Até agora, foram quatro casos confirmados da doença, com uma morte e outros cinco casos suspeitos descartados.

Uma das mortes foi de uma estudante da Escola Casa Meio Norte. Graça é mãe de Jainara, de 13 anos que morreu três horas depois dos primeiros sintomas. Emocionada, ela conta como tudo aconteceu. ?Ela vomitava direto. Levei para o hospital e chegando lá apareceram umas manchas no corpo e ela passando mal. Fizeram exame, mas não conseguiram sangue de jeito nenhum. Aí deu dois ataques cardíacos e ela não resistiu?, afirma.

Além de Jainara, outra estudante da 8ª série da mesma escola começou a apresentar os mesmos sintomas. Vitória Cristina, de 12 anos, foi internada em estado grave e se recupera no Hospital de Doenças Tropicais Natan Portela.

Com a confirmação dos casos, moradores da comunidade e pais de alunos da escola realizaram uma reunião com o objetivo de evitar pânico na comunidade. Técnicos da Fundação Municipal de Saúde passaram a fazer a desinfecção da sala onde as meninas estudaram e hoje (28) toda a escola receberá o mesmo tipo de desinfecção. Além disso, técnicos estão trabalhando na profilaxia dos familiares e também em todas as pessoas que tiveram algum tipo de contato com as duas.

De acordo com a gerente de epidemiologia da FMS, embora os registros da doença na escola, as aulas não devem ser suspensas, até mesmo em virtude de uma orientação do Ministério da Saúde que considera os professores como fundamentais para dar maior agilidade na identificação da doença.

?A professora detectou, ela já manda para o hospital. É por isso que a gente pede que não fecha a escola pois como evolução é muito rápida, o professor detecta e já envia ou para as redes municipais ou para o HDIC?, orienta.

A gerente também confirma o estoque de medicamentos. ?Os serviços de saúde de Teresina estão aguardando, de prontidão. Temos medicamentos estocados, soro, só não temos a vacina pois a vacina utilizada só tem eficácia em crianças menores de um ano?, explica.

Cuidados são essenciais para a prevenção

A meningite é uma doença contagiosa que pode ser transmitida por vírus, bactérias e outros microorganismos, que em função da proximidade de inflamação com órgãos nobres do sistema nervoso, pode pôr a vida em risco. A meningite provoca inflamação e inchaço das membranas que revestem o cérebro e as membranas espinhais, em seu tipo mais grave pode levar à morte como aconteceu com a jovem na Escola Casa Meio Norte. O surto de casos na zona leste da cidade, todo o município está em estado de alerta. Com isso, todo cuidado é pouco para evitar a proliferação.

A coordenadora de Ações Assistenciais da FMS, Amariles Borba, orienta os cuidados e explica os sintomas: ?Conversando próximo a uma pessoa, há uma chuva de gotículas de todas as bactérias e vírus que tem na garganta. Se espirrar, sai. Sentiu febre, dor de cabeça, dor no pescoço na região da nuca e vômito. Geralmente a pessoa tem febre de 38,5 ou 39 graus, mas está caída, ou seja, é pouca febre para muita moleza. É o caso de procurar os médicos da Saúde da Família ou o Hospital do Satélite, eles estão avisados assim como o HDIC que está desde domingo (28) de prontidão?, afirma.

Como a vacina contra a meningite está à disposição apenas para crianças menores de um ano, pais e responsáveis devem procurar os postos de saúde, de acordo com o calendário básico de vacinação. No entanto, nem todas os tipos possuem vacina e em casos de sintomas da doença, o médico deverá ser consultado.

As vacinas existentes são administradas em três doses cada uma de acordo com a fase. No caso da vacina tetravalente, deve ser administrada ao 1,4 e 6 meses e protege contra a meningite tipo B. A pneumococica 10 (conjugada) é administrada aos aos 6, 12 e 15 meses e protege contra a meningite bacteriana. Já a meningocócica C (conjugada) protege contra a meningite tipo C.

Teresina tem surto de catapora

Além dos casos de meningite em Teresina, a capital também está em estado de alerta para o surto da catapora. De acordo com a Secretaria de Saúde do Piauí, todas as regiões da cidade estão apresentando caso de crianças infectadas. O alerta serve principalmente, porque a doença ainda não tem vacina na rotina, distribuída pelo SUS.

Os primeiros sintomas são febre, mal-estar, dor de cabeça e cansaço, além do surgimento de manchas avermelhadas que dão lugar a pequenas bolhas. A transmissão do vírus ocorre por contato direto através da saliva ou secreções respiratórias da pessoa infectada. Por isso, é importante que a pessoa infectada fique no período de incubação que dura em média 15 dias, portanto sendo necessária que a pessoa infectada fique em repouso em casa.

Com a ocorrência desses casos, a Fundação Municipal de Saúde tem intensificado as ações de prevenção de ambas as doenças, como explica o assessor técnico da Presidência da FMS, Carlos Alberto.

?Identificamos surto nas creches e estamos fazendo a vacina nesses lugares. Inclusive este ano foram menos casos que no ano passado. Houve diminuição?, afirma.

Números de casos de meningite diminuíram nos últimos 4 anos

Embora Teresina esteja em atenção por conta do surto de meningite na cidade, os números de casos da doença tem reduzido nos últimos quatro anos. De acordo com a Fundação Municipal de Saúde, o ano de 2012 registrou 109 casos de meningite de todos os tipos. Nesse período, o ano mais grave foi em 2009, onde foi registrado em Teresina 538 casos. Ano passado, foram registrados 216. Com base em um comparativo nos últimos seis anos, os casos da doença em Teresina tiveram uma redução de 47%.

Embora haja a redução de casos, o alerta continua.

?Na parte de meningite tem periodicidade que acontece e tem muitos casos que aconteceram no Maranhão. Como as pessoas não tomam a vacina, se agrava. E não tem vacina depois de certa faixa etária. Mas estamos tomando as providências necessárias para controlar a doença?, explica.

Fonte: Ana Virgínia