Suspeita de assassinar ex-marido foi ao enterro e chorou a morte da vítima

De acordo com a delegada, durante o enterro a suspeita teria ameaçado de morte uma jovem de 15 anos, que era a atual namorada do Kelvin.

A ex-mulher de Kelvin de Jesus, um dos irmãos que foram assassinados no Cruzeiro (DF), e suspeita de participação no duplo homicídio foi ao enterro e chorou a morte das vítimas. A informação é da delegada da 3ª DP, Cláudia Alcântara, que investiga o caso. Kelvin e o irmão Rodrigo de Jesus, 19 anos, foram mortos na noite do último dia 23 de janeiro.

De acordo com a delegada, durante o enterro a suspeita teria ameaçado de morte uma jovem de 15 anos, que era a atual namorada do Kelvin.

? Nós já sabíamos que a qualquer momento a atual namorada seria a próxima vítima. Eles já estavam comprando munição, que inclusive foi apreendida, que eles usariam matar essa jovem. Ela também ameaçou de morte o melhor amigo do Kelvin.

Ainda segundo a delegada, o carro usado no assassinato foi comprado justamente para a prática do crime. Após o homicídio, o veículo foi vendido, segundo os suspeitos que estão presos. A polícia acredita que o carro esteja com os executores do crime que ainda estão foragidos.

A ex-mulher de Kelvin e outros dois acusados de envolvimento no crime foram presos em Formosa (GO), na última quarta-feira (5), e apresentados pela polícia nesta sexta-feira (7). O terceiro irmão das vítimas, Maycon de Jesus, 23 anos, também foi baleado, mas foi socorrido e se recupera dos ferimentos.

Durante as investigações, a polícia conseguiu imagens do circuito de segurança de um morador próximo ao local do crime. As câmeras registraram os assassinos chegando à casa das vítimas e, após os disparos, fugindo em um carro preto. A partir dessas imagens, os investigadores da 3ª Delegacia de Polícia no Cruzeiro identificaram os atiradores.

De acordo com a delegada Claudia Alcântara, o crime teve motivações diferentes. Cinco pessoas participaram do duplo homicídio. As vítimas faziam parte de um grupo rival ao dos acusados, mas o pivô do crime foi a ex-companheira de Kelvin de Jesus.

? O Kelvin fazia parte de um grupo rival ao dos assassinos e a rivalidade se acirrou quando a ex-mulher dele passou a namorar um integrante do outro grupo. Mas antes disso, as vítimas mantinham um histórico de rixas com os acusados.

As investigações apontaram que Kelvin já havia tentado matar o atual companheiro da ex-mulher, identificado como Caio. Apesar de não ter envolvimento com o mundo do crime, ambos tinham um histórico de provocações até que Caio resolveu matar Kelvin, conforme explicou a delegada.

? A ex-mulher de Kelvin sugeriu que o homicídio fosse praticado em Brasília, já que ninguém aqui sabia da rixa entre eles. Então, dez dias antes do homicídio eles elaboraram o crime e uma rota de fuga. No dia combinado, eles vieram para Brasília e executaram os irmãos.

Dentro do carro estavam Caio e a ex-mulher de Kelvin, identificada como Patrícia. Os dois estão presos e responderão por duplo homicídio, além da tentativa de matar o terceiro irmão que sobreviveu ao atentado. O terceiro preso é acusado de dar suporte aos atiradores que estão foragidos. Ele passou de moto em frente a casa onde ocorreu o crime e avisou aos atiradores que as vítimas estavam em casa.

Fonte: r7