Suspeito de estuprar neta de 9 anos afirma que ela se insinuava para ele

Motorista reafirma que era provocado e que criança se insinuava para ele. Delegado diz que família está abalada por vínculo com indiciado e a vítima.

Suspeito de estuprar a neta de 9 anos em Campo Grande, um motorista de 58 anos afirmou que o crime ocorreu apenas uma vez e que ele não consumou o ato sexual. “Estou muito arrependido, foi sem pensar. Mas ela também me provocou, ficando pelada e se insinuando para mim, tirando fotos no sofá”, afirmou o avô da criança.


O homem prestou depoimento por 40 minutos na tarde de segunda-feira (9). Ele disse ao delegado que a menina o chamou na sala, onde estava nua. “Ela pediu para eu buscá-la e saiu do banho se insinuando para mim, porém o meu arrependimento é grande. Tenho 15 anos na minha firma, todos os meus vizinhos me conhecem”, argumentou o suspeito.

Família abalada

Segundo o delegado Paulo Sérgio Lauretto, titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), a vítima chegou muito “assustada na delegacia”, acompanhada dos pais. Ela disse que os abusos ocorriam há oito meses e que sempre recebia dinheiro do avô após o crime.

Os parentes estão, com certeza, muito abalados, pois têm vínculo com o indiciado e a vítima. E no meu entender uma criança não tem capacidade para se insinuar da maneira que o suspeito está descrevendo”, disse o delegado.

O homem, que não possuía antecedentes criminais, responderá por estupro qualificado pelo fato de ser ascendente da vítima. A pena pode chegar a 22 anos de reclusão. O inquérito será encaminhado ao Poder Judiciário, de acordo com o delegado.

Entenda o caso

No último domingo (8), a criança chegou em casa reclamando de dores para a mãe e a tia. Conforme o delegado, ela reclamava de "dores no pé da barriga". A menina foi levada ao posto médico por volta das 16h30 e depois foi encaminhada à Santa Casa.

Durante a madrugada de segunda-feira, por volta das 2h30 (horário de MS), a menina foi atendida, segundo Lauretto. Logo no início da manhã, após o médico suspeitar de abuso sexual, o serviço social do hospital acionou a polícia.

“Hoje, por volta das 7h30 (horário de MS), fomos chamados pela assistente social do hospital. A equipe então se deslocou para a casa do motorista e ele, de imediato, confessou o crime na delegacia, ressaltando que era a criança quem se oferecia para ele”, finalizou o delegado.

Fonte: Globo.com