Suspeitos de arrastar cachorro doente por 4 km recebem multa

Suspeitos de arrastar cachorro doente por 4 km recebem multa

Homens puxaram cão por 4 km; Animal tem sinais de leishmaniose e pode ser sacrificado, diz diretora do CCZ

Os dois homens que, segundo o Centro de Controle de Zoonoses, arrastaram o cão Scooby do bairro Aero Rancho até a sede do órgão, em Campo Grande, foram multados em R$ 3 mil nesta terça-feira (10). Segundo a Polícia Militar Ambiental, o valor é o máximo permitido pela lei para crime de maus-tratos contra animais.

Ainda de acordo com a polícia, os suspeitos serão notificados e terão 20 dias para pagar o valor no Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul).

O caso

Funcionários do CCZ viram quando dois homens em uma moto chegaram ao local com o cão amarrado por uma corrente ao veículo. De acordo com a médica veterinária Ana Paula Nogueira, os suspeitos foram impedidos de sair do local pelos servidores, que chamaram a polícia e registraram um boletim de ocorrência.

A delegada que está cuidando do caso, Suzimar Batistela, disse ao G1 na segunda-feira (9) que o animal foi puxado por quatro quilômetros. Os homens prestaram depoimento e afirmaram não terem corrido no percurso e também que não sabiam que o cão estava se machucando.

Eles foram indiciados por maus-tratos e aguardam o desfecho do caso em liberdade. Eles podem ser julgados e, se forem condenados, podem pegar até um ano de prisão ou alguma pena alternativa, como serviços comunitários.

Scooby teve ferimentos nas patas e tinha sinais de leishmaniose. Um exame apontou a presença da doença. Outra avaliação foi feita e o resultado sairá ainda nesta terça-feira (10). A ONG Abrigo dos Bichos disse que vai enviar ofício para que o animal seja liberado para adoção mesmo se estiver infectado, pois existe um tratamento.

No entanto, a diretora do CCZ, Júlia Maksoud, disse que não há chances disso acontecer e se for comprovada a Leishmaniose, o cão será eutanasiado.

Fonte: G1