Ao estilo Twitter, livro reúne mil biografias em 140 caracteres

O resultado do trabalho está reunido no bem-humorado livro Mil Biografias Para Twitter, lançado pela Matrix Editora



O que você consegue escrever em 140 caracteres? Enquanto a maioria das pessoas reclama da fome, do frio e do calor, um escritor curitibano resolveu usar o Twitter para uma tarefa um pouco mais desafiadora: resumir uma vida inteira em biografias que cabem em um tweet. Em menos de 140 mil caracteres, o professor universitário e linguista Eduardo Diório Junior conseguiu biografar mil personalidades do mundo inteiro. O resultado do trabalho está reunido no bem-humorado livro Mil Biografias Para Twitter, lançado pela Matrix Editora.

Ironicamente, Eduardo não é um usuário assíduo de Twitter ou qualquer rede social, "por incrível que pareça", diz. A experiência do professor na rede de microblogs vem unicamente do trabalho realizado em sala de aula. Ele é autor do perfil @140em140, onde pretende resumir 140 grandes obras da literatura também em 140 caracteres - projeto que deve ser ampliado para outras categorias, como música, por exemplo. "A editora viu o projeto, achou interessante e me procurou para fazer um livro com biografias, no mesmo estilo do 140em140", afirmou ao Terra.

Eduardo levou dois meses para escrever as mil biografias. "Primeiro eu separei em categorias, como política, cinema, música, pensadores, pintores, e tentei mesclar principalmente pessoas de rápido reconhecimento", diz. O livro conta com personalidades que vão desde figuras da tecnologia, como Steve Jobs e Bill Gates, passando por celebridades da música, como Sandy e Keith Richards, até personalidades do esporte, como Rogério Ceni e Ronaldo.

E como ele fez pra pesquisar sobre a vida de tanta gente? "Muita coisa não precisou de muita pesquisa. Só fui atrás de algumas coisas, para não errar feio nas datas, na própria internet", disse, revelando uma das vantagens de ter somente 140 caracteres para escrever uma biografia.

Uso das redes em sala de aula

Apesar de não ter um perfil pessoal em nenhuma rede social, Eduardo é um usuário ativo de Facebook, Orkut e Twitter dentro da sala de aula. Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), ele tem vários projetos em andamento. "Os professores reclamam que os alunos só pensam em internet. Se eles só pensam em internet, tem que colocar a internet dentro da sala de aula", afirma.

Além do perfil @140em140, outro projeto envolve o Orkut, onde a turma discute temas relevantes das disciplinas em um comunidade, e ainda têm a obrigação de estender a discussão para outros fóruns de outras universidades pela rede social. Além disso, Eduardo pretende colocar em prática um projeto mais audacioso: recriar, pelo Facebook, um clássico da literatura nacional. "Os alunos fazem um perfil para cada personagem e recriam a história por postagens pela rede social", adianta.

No livro, com muito bom humor, Eduardo ainda faz uma biografia de si próprio. "Um brilhante e promissor escritor, futuro vencedor do Nobel de Literatura, além de ser bonito, inteligente, simpático e, sobretudo, modesto", escreveu. Ao descrever um dos criadores do Twitter, Jack Dorsey, Eduardo mostra o que pensa de quem escreve mensagens tão curtas: "Criou uma rede social em que o usuário só pode escrever suas mensagens com um máximo de 140 caracteres. Aonde já se viu? Que ideia absurda!"

Fonte: Terra