Aplicativo para iPhone inspirado no Instagram mostra fotos "ao vivo"

Aplicativo para iPhone inspirado no Instagram mostra fotos "ao vivo"

Pictastik apresenta imagens tiradas pelos usuários em tempo real

Um aplicativo para iPhone idealizado por um brasileiro mostra fotos de 91 cidades feitas por usuários em tempo real. O Pictastik funciona como o Instagram, porém, os usuários não podem publicar fotos da galeria de imagens do celular ou do Facebook. Ou seja, ele é ?obrigado? a postar uma foto recém-tirada pela câmera. O objetivo é mostrar o que está realmente acontecendo na cidade naquele momento.

?Diferentemente do Instagram, cujo foco são as fotos pessoais, o Pictastik explora um nicho de fotos públicas e colaborativas?, explica Pedro Henrique Rodrigues Marques, que criou o aplicativo. ?Queremos que as pessoas estejam em qualquer lugar do mundo a qualquer hora", acrescentou.

Ao usar o GPS do iPhone, o Pictastik automaticamente identifica a cidade e o país em que usuário está no momento da foto. O aplicativo, então, organiza todas as imagens feitas na mesma cidade em três grupos: ?ao vivo?, ?populares? e por ?categorias?. Além de navegar por cidade, o usuário pode visualizar as imagens por categorias: arquitetura, artes, entretenimento, eventos, locais famosos, paisagens, bebida & comida, festas e vida noturna, pessoas, locais para ficar (hotéis), shopping e coisas para fazer.

Assim como no Instagram, o usuário pode ?seguir? e ?ser seguido? por outros usuários e aplicar filtros às fotos. Porém, não existe a possibilidade de deixar o seu perfil ?privado?, como em outras redes sociais. ?O objetivo do aplicativo é ser uma plataforma global de compartilhamento colaborativo?, explica Marques.

Como as fotos são feitas em ?tempo real?, o aplicativo salva as imagens no iPhone. Por enquanto, o programa tem apenas versão em inglês, mas Marques diz que está trabalhando para lançar versões traduzidas para português e espanhol.

?Quando o usuário pesquisar por Nova York, por exemplo, ele vai poder ver a hora local e acessar as últimas fotos tiradas na cidade. Digamos que seja 10h (o aplicativo fornece essa informação). O usuário provavelmente vai ver fotos de arquitetura, parques e cafés. Se no segundo seguinte ele entrar em Sidney (do outro lado do planeta), provavelmente verá fotos de restaurantes e baladas?, explica Marques.

Fonte: G1