Aplicativo com "mapa de sexo casual" no mundo causa polêmica

Aplicativo com "mapa de sexo casual" no mundo causa polêmica

Site foi lançado oficialmente no dia 15 de janeiro e já é um dos portais mais mal falados da internet

A propaganda do site ?GirlsOnAMap" é clara: trata-se da primeira página de viagens projetada para homens solteiros. O endereço virtual permite que seus usuários conheçam certas características de mulheres ao redor do mundo (se são receptivas à paquera, festeiras, bonitas...), façam avaliações sobre elas e recomendem os melhores destinos de acordo com o tipo físico da pessoa que os interessa (alta, curvilíneas, loiras ou morenas). Tudo para que esta combinação de informações indique ao usuário onde encontrar garotas com disponibilidade para noites de sexo casual enquanto estão fora de casa.

Criada pelo ex-apresentador de TV, o norte-americano Kevin Leu, o site polêmico incentiva os internautas a publicar fotos de mulheres ? que conheceram em sua cidade natal ou durante uma viagem ? e as avaliem por métricas variadas (e esdrúxulas). Uma delas permite que o usuário dê uma nota de 0 a 10 para as fotos das garotas de acordo com sua beleza.

As notas são cumulativas e,seu cruzamento determina quão ?hot? é o lugar em questão. No dia do lançamento, São Francisco, nos Estados Unidos, tinha nota 6; o Rio de Janeiro, 6,1, enquanto a desconhecida cidade de Sighisoara, na Romênia, alcança os 6,9 pontos. O Rio agora está no topo do ranking, ao lado de cidades no México. O viajante também pode dizer se foi ?muito fácil? ou ?muito difícil? dormir com mulheres em cada um dos locais por onde passou.

?Só nos Estados Unidos, mais de 28% dos homens solteiros que viajam têm entre 18 e 34 anos. Os interesses deles são diferentes do que oferece o site TripAdvisor, por exemplo", explica Kevin Leu no release de lançamento do site. "Eles querem escolher um bom destino, mas também estão à procura de uma aventura de férias. E por que não? É o elixir da vida! Com o "GirlsOnAMap", criamos uma plataforma para jovens solteiros em busca de emoção?, defende o criador.

Após apenas uma semana no ar, uma exurrada de críticas via Twitter chama a atenção para a maneira machista como a página trata o sexo feminino - comparando as garotas de cada país a atrações turísticas.

Em entrevista ao site Takepart.com, Kevin Leu se defendeu: ?Nós objetificamos pessoas o tempo todo. Só estou trazendo esse tipo de conversa para o ambiente online. Quando viajava, sempre ficava curioso sobre como eram as mulheres do país?, explicou. O norte-americano também negou que o site coloque as mulheres em risco de agressão sexual quando a cidade é classificada como "fácil". "As cartas ainda estão nas mãos delas. Os homens continuarão tendo que se esforçar para tê-las. Em nenhum momento defendemos que eles tirem proveito das meninas?, disse.

Fonte: revistamarieclaire